Chefe de gabinete diz que governo não ajudou Dantas

O chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, afirmou ontem que só acionou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para verificar se havia alguma investigação envolvendo Humberto Braz - homem da confiança do banqueiro Daniel Dantas - porque recebeu informação de que ele estava sendo perseguido por gente da Presidência. Contrariado com o que chama de descontextualização de seu diálogo com o ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT), capturado pelo grampo telefônico da Operação Satiagraha, Carvalho garantiu a amigos, porém, que jamais agiu em favor de Dantas.

Agência Estado |

"Tanto é verdade que o governo não interferiu em nada que Daniel Dantas foi preso", afirmou o chefe de gabinete de Lula, numa conversa reservada. Carvalho disse lembrar-se de ter recebido pessoalmente Greenhalgh - de quem é amigo há mais de duas décadas - apenas três vezes neste ano, no Palácio do Planalto.

Num dos encontros, o ex-deputado - que é advogado de Dantas - afirmou desconfiar que alguém do governo vasculhava a vida de Humberto Braz. Braço direito de Dantas e ex-diretor da Brasil Telecom, Braz é o homem que, pouco depois, tentou subornar a PF com US$ 1 milhão para que a Operação Satiagraha fosse arquivada. Está foragido.

    Leia tudo sobre: daniel dantas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG