Chávez nega perseguição à TV Globovisión

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, defendeu nesta sexta-feira a batida policial realizada na residência do proprietário da TV Globovisión, a mais crítica ao governo, negando que a medida faça parte de uma perseguição contra a emissora.

AFP |

Chávez se referia à batida realizada pela polícia na noite de quinta-feira na casa de Guillermo Zuloaga, presidente da Globovisión, e destacou que no local havia um bom número de veículos novos, cuja origem deve ser explicada.

"Uma casa em Caracas repleta de carros de luxo, que não tinham documentos. Defendam-se nos tribunais. Se tenho 40 carros preciso explicar como os consegui", disse Chávez, ao inaugurar a sede da Universidade das Forças Armadas em Barinas.

"Que diz a burguesia? Oh, surpresa! O dono desta casa também é o dono de um canal de televisão. Chávez os está perseguindo. Vamos acabar com a impunidade", prometeu o presidente.

Zuloaga qualificou de "excesso" a operação policial e garantiu que todos os veículos estão legalizados.

A Globovisión é um canal de notícias 24 horas que mantém uma linha crítica ao governo de Chávez.

Há dois anos, Chávez não renovou a licença da RCTV, tirando do ar o canal mais visto na Venezuela.

jt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG