O governo do presidente Hugo Chávez, na Venezuela, deve parar de atacar a rede de televisão Globovisión, que corre o risco de ser fechada por causa de sua cobertura jornalística, denunciou nesta quinta-feira a organização americana Human Rights Watch (HRW).

"O governo Chávez está utilizando novamente seus amplos poderes regulatórios para fustigar seus críticos", destacou José Miguel Vivanco, diretor de HRW para as Américas.

Nas palavras de Chávez, a Globovisión, com a cobertura do terremoto de 4 de maio que afetou Caracas, "incitou o ódio".

Esta cobertura desencadeou a abertura de outra investigação pelo órgão regulador das telecomunicações, que já tinha outros dois casos pendentes, contra a emissora, crítica do regime.

A "Lei de Responsabilidade Social" que supervisiona desde 2004 o setor radiotelevisivo permitiu este novo abuso, denunciou a HRW.

"A formulação da lei, vaga e imprecisa, a severidade de suas sanções, e o fato de ser aplicada por uma agência do Poder Executivo aumenta a vulnerabilidade dos meios de comunicação", afirma a HRW em comunicado.

jz/lm/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.