Chávez deve parar de atacar a Globovisión, diz Human Rights Watch

O governo do presidente Hugo Chávez, na Venezuela, deve parar de atacar a rede de televisão Globovisión, que corre o risco de ser fechada por causa de sua cobertura jornalística, denunciou nesta quinta-feira a organização americana Human Rights Watch (HRW).

AFP |

"O governo Chávez está utilizando novamente seus amplos poderes regulatórios para fustigar seus críticos", destacou José Miguel Vivanco, diretor de HRW para as Américas.

Nas palavras de Chávez, a Globovisión, com a cobertura do terremoto de 4 de maio que afetou Caracas, "incitou o ódio".

Esta cobertura desencadeou a abertura de outra investigação pelo órgão regulador das telecomunicações, que já tinha outros dois casos pendentes, contra a emissora, crítica do regime.

A "Lei de Responsabilidade Social" que supervisiona desde 2004 o setor radiotelevisivo permitiu este novo abuso, denunciou a HRW.

"A formulação da lei, vaga e imprecisa, a severidade de suas sanções, e o fato de ser aplicada por uma agência do Poder Executivo aumenta a vulnerabilidade dos meios de comunicação", afirma a HRW em comunicado.

jz/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG