Charlize Theron brilha em drama familiar no Festival de Veneza

VENEZA ¿ As atrizes Charlize Theron e Kim Basinger brilharam nesta sexta-feira na apresentação do primeiro filme do diretor mexicano Guillermo Arriaga, The Burning Plain, um drama familiar que entrelaça várias histórias que ocorrem em lugares e tempos e diferentes e acabam por converger para uma mesma trama.

Redação com AFP |

Charlize Theron, o diretor Guillermo Arriaga
e a atriz Jennifer Lawrence / Getty Images

Arriaga é conhecido por roteiros que são obra-primas dessa estrutura narrativa, como "Amores Brutos", "21 Bramas" e "Babel", todos dirigidos pelo compatriota Alejandro González Iñárritu.

"Na vida real, as histórias são contadas de forma decomposta, não são lineares. Posso falar do avó e depois do meu filho, misturar passado e presente. O cinema é uma linguagem moderna e, entre suas ferramentas, existe a decomposição do tempo", explicou Arriaga, o único latino que compete na seção oficial do festival, falando na coletiva de imprensa.

Aplaudida depois de sua projeção para a imprensa especializada, a trama do filme combina homicídios inconfessáveis, amores trágicos, filhos abandonados, maternidade negada e até parricídio, com brechas imensas e cheias de sol da Baixa California e de dias chuvosos e frios de Portland.

A turbulenta infância de Mariana (a novata atriz Jennifer Lawrence) marca a vida de todos os personagens, interpretados pela magnífica sul-africana Charlize Theron, co-produtora do filme, e a ex-ícone sexy Kim Basinger, agora no papel de uma mãe de família desencantada que se apaixona por um mexicano, Nick (Joaquín de Almeida).

Arriaga narra a sua maneira quatro histórias de amor extremo, baseadas nos quatro elementos, água, terra, fogo e ar, que ilustram sentimentos como remorso, culpa e tristeza gerados por um ato desmetido: o assassinato da mãe.

A direção firme de Arriaga claramente contou com o talento inquestionável de Theron e Basinger, que garantem o alto nível do filme. "É o momento mais feliz de minha vida profissional e devo isso a um elenco muito bom, que me protegeu e me ajudou", admitiu Arriaga.

"Arriaga não é o roteirista típico que escreve fechado em casa e que, de repente, descobre que quer ser diretor. Ele sempre participou ativamente da realização dos filmes que escreveu", comentou o produtor executivo do filme, Marc Buton.

Sua estréia como diretor depois das desavenças com González Iñárritu, com quem manteve anos de estreita amizade e rompeu relações, constitui um desafio para o novo cineasta, que evitou maiores polêmicas. "Antes de mais nada, Alejandro é um diretor maravilhoso", foram as únicas palavras de Arriaga a respeito do colega com quem rompeu relações há alguns anos.

Apesar do sucesso em Veneza, muitos críticos questionaram se a receita de narrar histórias não-lineares intercaladas terá sempre sucesso no cinema. "Não inventei isso, sim a vida. As pessoas contam as histórias assim, indo do passado para o presente, da frente para trás, de forma não cronológica. Os jvoens fala do cinema de Tarantino e os velhos do de Altman. William Faulkner já escrevia assim", alegou.

Obsessão pela morte

Atriz Lika Minamoto e diretor Barbet
Schroeder em "Inju" / Getty Images

Outro tema recorrente do cineasta-roteirista, presente em todas suas obras, é a morte. "Sou obcecado com a morte e pela maneira que a perda de alguém influencia a própria identidade. É que a sociedade faz de tudo para evitar a morte", afirmou.

"A tarefa de um escritor ou de um cineasta não é ocultar a morte, e sim tentar dar-lhe vida", acrescentou, explicando assim as razões para o final feliz que deu a seu filme.

"The Burning Plain" foi o primeiro de cinco longas norte-americanos a ser exibidos na competição oficial de Veneza.  Hoje também foi projetado o filme "Inju, La Bête Dans L'ombre", do diretor Barbet Schroeder, um suspense que foi condenado de forma unânime pela crítica em Veneza.

O filme conta a história de Alex Fayard, um autor de sucesso de romances policiais que viaja ao Japão e tenta conhecer um misterioso colega de profissão, o melhor escritor do gênero nesse país, mas que ninguém conhece.

* Com informações da EFE

Leia mais sobre: Festival de Veneza

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG