Apenas cinco dos nove acusados de terem comandado a chacina de Unaí (MG) estão presos aguardando julgamento da Justiça, passados cinco anos do assassinato dos auditores fiscais do Trabalho Eratóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e do motorista Ailton Pereira de Oliveira.

Os quatro servidores foram mortos numa emboscada quando realizavam, no dia 28 de janeiro de 2004, uma fiscalização rural de rotina no município de Unaí, localizado na região Noroeste de Minas e a 168 quilômetros de Brasília.

Leia tudo no Congresso em Foco

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.