CGU questiona dados de gastos com cartão corporativo

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou nota na qual questionou o levantamento - feito pela liderança do PSDB no Siafi, sistema de execução orçamentária disponibilizado pelo próprio governo - dos dados de saques com cartões corporativos do governo. ¿O crescimento dos gastos entre o primeiro trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado já era esperado e resulta da extinção, em meados de 2008, das contas tipo B¿, disse Luiz Navarro, secretário executivo da CGU.

Agência Estado |

Com a extinção das contas B, que ocorreu em razão da falta de transparência, as despesas que eram executadas dessa forma passaram a ser feitas com o cartão.

De acordo com dados de janeiro a março, foram sacados diretamente no caixa uma média de R$ 48 mil por dia. No mesmo período de 2008, esse valor foi menor: ficou em R$ 22,6 mil. Segundo os dados da CGU, os gastos com suprimento de fundos (a soma dos gastos com cartão e com contas B) no primeiro trimestre deste ano caiu 26,8% em relação ao mesmo período de 2008: passaram de R$ 20.866.347 para R$ 15.266.435.

A Secretaria de Administração da Casa Civil afirmou que, no primeiro trimestre de 2008, as despesas com saques foram de R$ 654.238,46 e, em 2009, de R$ 1.282.654,40. Houve um maior número de estabelecimentos utilizados no período que não trabalham com a bandeira do cartão corporativo do governo federal, estando todas as situações identificadas e justificadas nos processos de prestação de contas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: cartão corporativo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG