A Controladoria-Geral da União (CGU) demitiu ontem mais quatro servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Desde dezembro, já são 17 os demitidos após processos administrativos disciplinares que comprovaram, entre outras irregularidades, uso do cargo em proveito pessoal e recebimento de propina para liberação de mercadorias sem realização de vistoria.

Os processos foram abertos a partir da Operação Rio Nilo, da Polícia Federal (PF), em fevereiro de 2007, que identificou esquema de simulação de operações de remessa de mercadorias de São Paulo para empresas da Zona Franca, com notas fiscais frias. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.