CET suspende aumento de tarifa da Zona Azul em São Paulo

A Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo suspendeu nesta segunda-feira o aumento do preço da Zona Azul, que custa atualmente R$ 1,80. O novo preço, que seria de R$ 3 e foi anunciado no dia 29 de maio, deveria entrar em vigor a partir desta quarta-feira, dia 1º de julho.

Redação |

O secretário municipal de Transportes e presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Alexandre de Moraes, suspendeu o reajuste de preço da folha da Zona Azul devido a uma suspeita de represamento dos talões. As empresas particulares encarregadas da distribuição não estariam fazendo a entrega aos postos de venda corretamente.

Prevendo uma maior demanda, a Companhia diz que aumentou de 228 mil para 359 mil os talões entregues às distribuidoras, por isso não há "razão para que não se venda o talão inteiro ou que falte folha avulsa de Zona Azul".

Apesar do aumento na entrega, a CET diz que tem recebido reclamações de usuários que não conseguem adquirir os talões, por isso vai abrir uma sindicância para apurar o fato.

Segundo a CET, caso a mudança ocorresse, as folhas adquiridas anteriormente continuariam valendo e os talões com os valores antigos deveriam ser vendidos conforme o valor impresso.

De acordo a Companhia, o reajuste foi feito com base em estudo que indicou o percentual necessário "para a recomposição do valor cobrado anteriormente", a partir de índices econômicos. Ainda com informações da CET, esse reajuste é inferior à inflação média do período.

A Zona Azul foi criada em 1976 e disponibiliza cerca de 33 mil vagas, que estão localizadas, em sua maioria, no centro expandido.

Os talões da Zona Azul são vendidos em diversos pontos, como mercados, farmácias e bancas de jornal.

Leia mais sobre: Zona Azul

    Leia tudo sobre: cettransitozona azulzona azul eletrônica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG