Cerca elétrica de prédio não estava ligada, diz promotor

O promotor Francisco Cembranelli, responsável no Ministério Público Estadual (MPE) pela investigação da morte de Isabella, de 5 anos, afirmou hoje que a cerca elétrica do condomínio onde a criança foi encontrada morta não estava ligada no dia do crime. A cerca elétrica não estava funcionando por conta do prédio ser novo, segundo disseram os administrados do condomínio, afirmou o promotor, em entrevista no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo.

Agência Estado |

Cembranelli esteve hoje na cena do crime acompanhado de três autoridades policiais. Ele visitou a garagem e todas as instalações do apartamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina. Ele afirmou que o muro da parte de trás do prédio é muito alto, e só "um homem aranha" escalaria a parede. Então, o promotor revelou que a cerca elétrica estava desligada no sábado à noite, quando Isabella morreu.

Segundo Cembranelli, há manchas de sangue "visíveis" no corredor de acesso aos dormitórios, na parede do quarto de onde ela teria sido jogada, no colchão e no lençol da criança. O promotor ainda contou que o apartamento se encontra desarrumado, com louças sujas, e com muitos objetos de Isabella. Ele também se reuniu com legistas que apresentaram conclusões preliminares sobre o caso. Essas conclusões, no entanto, não foram reveladas oficialmente.

O promotor ainda comentou uma lista apresentada por Alexandre Nardoni, que contém nomes de possíveis desafetos do pai da criança. "Serão todos investigados se tiverem algum nexo. Não adianta vir agora com qualquer nome. Ninguém vai indicar o nome de um suspeito que mora na Argentina, por exemplo, ninguém vai investigar isso. Tem que ser plausível, mas a investigação não está fechada para nada", disse o promotor.

Porém, o promotor do MPE pregou cautela na condução das investigações. Ele informou que as apurações estão sendo feitas com calma. Prova disso, afirmou, é que não houve oitivas tomadas hoje. "Todos estão sendo investigados e estamos sendo cautelosos." O casal, que teve ontem a prisão decretada, prestará novo depoimento à polícia, mas ainda sem data definida.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG