RECIFE ¿ Cerca de 700 trabalhadores rurais que saíram em caravana, no início da manhã desta quarta-feira, dos engenhos da Usina Catende (a 132 quilômetros do Recife), chegaram nesta tarde à sede do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), no Recife. O intuito da ação é pressionar o Incra para a liberação de mais de R$ 12 milhões em créditos do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para pagamento de salários e garantia da produção da próxima safra.

De acordo com o diretor de Política Agrária da Fetape (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco), Paulo Roberto, os agricultores estão esperando uma resposta do Incra há mais de dois meses.

Os trabalhadores precisam concluir a moagem e há mais de 60 dias estão sem respostas. Tivemos uma reunião há 15 dias em Brasília com representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, mas de nada adiantou, afirmou Paulo Roberto. De acordo com a Fetape, caso a verba não seja liberada, a safra desse ano pode ser comprometida.

Os trabalhadores rurais também reivindicam a desapropriação da fábrica, a inclusão dos operários na relação de beneficiários, a regulamentação do Projeto de Assentamento Governador Miguel Arraes (PAG) e do Plano de Desenvolvimento do Assentamento. Além disso, eles pedem que a construção das moradias incluídas no plano de habitação seja iniciada.

De acordo com o Incra, ainda não há nenhuma reunião marcada com os trabalhadores rurais, e só será agendada após a chegada de todos os agricultores na sede do Incra. Até o momento, quatro dos 16 ônibus esperados já chegaram à sede do órgão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.