Cerca de 2 milhões visitam cemitérios do Rio de Janeiro no Dia de Finados

RIO DE JANEIRO - Chuva de pétalas de rosas e espetáculos de música e dança marcaram nesta segunda-feira o Dia de Finados nos cemitérios do Rio de Janeiro. Os portões foram abertos às 6h e o movimento foi intenso durante todo o dia. A expectativa da Santa Casa de Misericórdia, que administra as unidades do Rio, é que 2 milhões de pessoas tenham visitado os túmulos de parentes e artistas nesta segunda-feira. Agentes da Secretaria de Saúde aproveitaram para combater focos do mosquito Aedes-aegypty, transmissor da dengue.

Agência Brasil |

O arcebispo da cidade, dom Orani Tempesta, celebrou missa no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju - o maior da América Latina, às 8h -, onde eram esperadas cerca de 1 milhão de pessoas. A exemplo de outros anos, os túmulos mais visitados foram os do cantor e compositor Tim Maia e do sambista Noel Rosa. Depois, dom Orani acompanhou uma chuva de pétalas de rosa jogadas de um helicóptero sobre os túmulos e, em seguida, foi para Santa Cruz, onde rezou missa às 10h30.

AE

Pessoas acendem velas no cemitério do Caju para rezar pelos entes queridos

Nos outros cemitérios, os párocos das comunidades também celebraram missas de hora em hora e pétalas foram jogadas em homenagem aos mortos. O cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul da cidade, recebeu pelo menos 500 mil pessoas. Os túmulos mais visitados foram os do cantor Cazuza e da cantora Carmem Miranda.

No Jardim da Saudade, em Sulacap, a Organização Não-Governamental Projeto Dançarte montou um palco para espetáculos de música e dança e levou para lá jovens e crianças do espetáculo Ritmos e do Coro Infanto-Juvenil da Escola de Música da Rocinha.

Leia mais sobre: Dia de Finados

    Leia tudo sobre: dia de finados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG