Cepal reduz previsão de expansão do Brasil para 2009

SANTIAGO (Reuters) - A Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) cortou nesta quinta-feira sua projeção de crescimento para América Latina e Caribe em 2009 para 1,9 por cento, frente a um cálculo anterior de 4 por cento, devido aos efeitos da crise global. No último relatório sobre a região, a Cepal divulgou que o ciclo de bonança econômica chegou ao fim este ano. O Produto Interno Bruto (PIB) da América Latina deve crescer 4,6 por cento, levemente abaixo da previsão anterior de 4,7 por cento.

Reuters |

O PIB do Brasil, maior economia da região, deve expandir-se em 2,1 por cento em 2009, após um crescimento de 5,9 por cento neste ano, segundo estimativa da instituição, ligada à Organização das Nações Unidas.

Ainda que a previsão seja de que nenhum país da América Latina entre em recessão no ano que vem, o México deve crescer apenas em torno de 0,5 por cento em 2009, que seria o menor desempenho da região, segundo a Cepal.

A comissão ainda reiterou que a América Latina está de todas as maneiras melhor preparada que anteriormente para enfrentar a crise.

No ano que vem, a Argentina deve crescer em torno de 2,6 por cento, a Venezuela, 3 por cento, e Colômbia e Chile 2 por cento cada. A economia do Peru deve apresentar a maior expansão da região, crescendo 5 por cento em 2009.

A desaceleração da economia regional deve se refletir em uma taxa de desemprego que pode subir para entre 7,8 e 8,1 por cento no ano que vem, ante 7,5 por cento em 2008.

As projeções para a inflação são de queda para entre 5 e 6 por cento em 2009, ante os 8,5 por cento esperados para este ano.

(Reportagem de Antonio de la Jara)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG