Centenário de Chico Xavier movimenta mercado cultural espírita

SÃO PAULO - Segundo informações do último censo do IBGE, publicado em 2000, as pessoas que se declaram espíritas são 1,3% da população brasileira. O número é pequeno se comparado aos católicos e evangélicos, mas movimenta um mercado cultural de respeito. Estima-se, por exemplo, que dez milhões de livros espíritas foram vendidos em 2009. Nos cinemas, o filme Bezerra de Menezes conseguiu um público de 500 mil pessoas em 2008. Nos palcos, a edição de 2009 da Mostra de Teatro Trascendental reuniu 35 mil pessoas em Fortaleza.

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Este ano, esses números vão crescer. Isso porque 2010 é o ano do centenário do nascimento de Chico Xavier, maior nome do espiritismo brasileiro. No dia 02 de abril, data de seu aniversário, chega aos cinemas "Chico Xavier, o Filme", produção da Globo Filmes que tem tudo para ser o maior sucesso do cinema brasileiro do ano. E este não será o único filme espírita de 2010 - outras duas produções estreiam no segundo semestre.

Uma delas é "As Mães de Chico Xavier", produzido pela mesma equipe responsável por "Bezerra de Menezes", e que conta a história de mães que entraram em contato com os filhos mortos através do médium mineiro. A outra é "Nosso Lar", baseado no livro de maior sucesso de Chico, e que retrata o plano espiritual segundo a visão espírita. O lançamento deste segundo filme está marcado para setembro. O primeiro ainda não tem data de estreia definida.

Nas livrarias, o destaque é reedição de "As Vidas de Chico Xavier", do jornalista Marcel Souto Maior, pela editora Leya. Originalmente publicado em 1994, o livro serviu de base para o roteiro do cinebiografia do médium e volta em edição que o autor considera "definitiva". "Chico é uma figura controvertida, um mito polêmico, idolatrado por milhões de brasileiros e questionado por outros milhões de céticos", avalia Souto Maior.

Divulgação/Agência Estado
Nelson Xavier, Zíbia Gasparetto e Chico Xavier

Uma das características que transformou Xavier em mito descrito por Souto Maior foi a psicografia. O dom de escrever sob inspiração de espíritos levou o médium a publicar mais de 400 livros, que venderam juntos cerca de vinte milhões de cópias. Criou ainda uma escola que tem fenômenos como a paulista Zibia Gasparetto, de 83 anos, cuja obra já ultrapassou alegados 25 milhões de volumes vendidos.

Neste mercado, há espaço também para peças teatrais. A companhia Operários do Palco, por exemplo, existe desde 2001, sempre com espetáculos de temática espírita. O grupo, responsável por sucessos como "Paulo e Estêvão" e "A Vida de Emanuel", estreia em março a peça "Herdeiros do Novo Mundo". "Não fazemos pregação religiosa", garante o diretor da companhia, Marco Zucolotto. "Apenas refletimos sobre questões humanas de uma forma positiva", finaliza.

Leia mais sobre o mercado cultural espírita:


Veja abaixo o trailer de "Chico Xavier, o Filme":

    Leia tudo sobre: chico xaviercinemaespiritismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG