Censo 2010 visita 58 milhões de domicílios a partir deste domingo

Megaoperação orçada em R$ 1,68 bilhão conta com 190 mil recenceadores contratados pelo IBGE

iG São Paulo |

Os 190 mil recenseadores contratados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciam o trabalho de coleta de informações para o Censo 2010 neste domingo, em uma megaoperação orçada em R$ 1,68 bilhão e que visitará 58 milhões de domicílios. O IBGE vai divulgar a quantidade da população brasileira dia 27 de novembro. Essa será a primeira informação a ser divulgada do Censo 2010.

Agência Brasil
O presidente do IBGE, Eduardo Nunes, no lançamento do Censo 2010, no Ministério do Planejamento
Durante seminário para jornalistas, o presidente do órgão, Eduardo Pereira Nunes, disse que a informação será repassada para o Tribunal de Contas da União (TCU), que calculará o repasse de recursos do governo federal para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A distribuição é feita de acordo com o número de habitantes de cada município.

O restante dos dados do Censo 2010 serão divulgados a partir de 2011. Esta edição inclui perguntas sobre cônjuges do mesmo sexo, etnia e língua indígena, disponibilidade de luz elétrica, tempo de deslocamento para o local de trabalho, disponibilidade de internet e de telefones celulares. Para traçar um retrato da população brasileira, estimada pelo IBGE em 191 milhões de pessoas, o censo inclui questões sobre condições habitacionais e socioeconômicas como raça, religião, trabalho e renda, deficiência, além de fecundidade.

As divulgações dos dados da pesquisa deverão prosseguir até 2012. Os técnicos do instituto dedicaram três anos de preparação para o início dos trabalhos. O Censo anterior foi realizado em 2000 e contabilizou uma população de 169,8 milhões de habitantes. A primeira pesquisa desse tipo havia sido realizada pela instituição em 1872, quando o País somava uma população de 10,1 milhões de pessoas.

Não responder ao Censo é crime previsto em lei e a novidade deste ano é que aqueles que passam muito tempo fora de casa poderão optar pelas respostas na internet. Porém, até para essa opção será necessário um contato com o recenseador, que vai ser responsável pela entrega de um envelope lacrado, com prazo de utilização. Caso o internauta não cumpra a data estipulada, o profissional contratado pelo IBGE vai retornar ao local e insistir na entrevista presencial.

De acordo com a Lei número 5.564, de 14 de novembro de 1968, a não prestação de informações nos prazos fixados gera multa de até 10 vezes o maior salário mínimo vigente no País. Ficará dispensado do pagamento da multa, porém, o infrator primário que prestar informações no prazo fixado no auto de infração. Nunes disse que a intenção do IBGE não é punir e sim contar com a colaboração da população. Para isso, serão veiculadas, a partir deste semana, propagandas de esclarecimento sobre a operação censitária nos veículos de comunicação do País.

Coleta de dados

O trabalho de coleta de dados será realizado até o dia 31 de outubro. Um único morador poderá fornecer as informações por todos os moradores dos domicílios, em questionários que terão de 37 a 108 quesitos. Os recenseadores podem ser identificados pelo uso de um colete especial, no qual estará fixado um documento de identificação e o logotipo do Censo, além de um boné e o material eletrônico de mão para a realização do questionário. Em caso de dúvida, é possível confirmar a matrícula do recenseador pelo telefone: 0800 7218181.

Em áreas de difícil acesso, como favelas e áreas indígenas, o instituto buscou contratar profissionais que moram nesses locais, para facilitar a coleta de informações. Segundo Nunes, o procedimento adotado para o Censo na área de favelas é o mesmo que vem sendo adotado com sucesso em outras pesquisas domiciliares realizadas pelo instituto.

Há também casos especiais como as 68 cidades afetadas pelas enchentes em Alagoas e Pernambuco. Nunes explica que o instituto está avaliando como fará o recenseamento nesses locais, inclusive identificando as pessoas que trocaram de endereço por causa dos problemas causados pelas chuvas. Em todo o País, o trabalho dos recenseadores poderá se estender pelo horário noturno e finais de semana, dependendo da peculiaridade de regiões e domicílios a serem visitados.

Campanha publicitária 

A partir de hoje, veículos de comunicação do País vão exibir uma campanha publicitária com objetivo de informar a população sobre o Censo 201o. Por meio de licitação, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) selecionou a agência Youg & Rubicam para a elaborar a campanha "Você responde, o Brasil corresponde". As peças para jornal, revista e televisão custaram R$ 30 milhões do orçamento de R$ 1,6 bilhão destinado para o censo.

Além das campanhas publicitárias, para mobilizar a população, o IBGE conta com o auxílio das comissões censitárias estaduais e municipais, formadas por representantes do instituto, lideranças comunitárias e entidades representativas da sociedade civil.

*Com informações da Agência Estado e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: censo 2010iBGE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG