Cemitério particular doa jazigo de R$ 10 mil para Eloá

SANTO ANDRÉ - O diretor comercial do cemitério Jardim Santo André, Wagner Carnaval, confirmou nesta segunda-feira a doação de um jazigo para a família de Eloá Cristina Pimentel, que foi morta pelo ex-namorado Lindemberg Alves, depois de ter sido mantida refém por cerca de 100 horas, em Santo André, na Grande São Paulo.

Carolina Garcia, do Último Segundo |

Acordo Ortográfico

Segundo Carnaval, um dos donos do cemitério, Altimar Augusto Fernandes, se sentiu comovido pelo caso e decidiu doar um jazigo para a família de Eloá.

Carnaval confessou que, em sete anos de trabalho no cemitério, nunca presenciou uma doação de um jazigo. "O jazigo doado tem capacidade pra 15 sepultamentos. O objetivo é dar conforto para a família Eloá", disse.

Devido à localizaçao privilegiada (o setor 1 do cemitério), o jazigo doado pode valer R$ 10 mil. "Eles [a família de Eloá] não têm condições de comprar um espaço para sepultar a menina. Por vir de uma família carente, Eloá seria enterrada no cemitério central da cidade."

Após a notícia da doação, Carnaval afirmou que a família ficou muito grata.

Leia também:

    Leia tudo sobre: sequestro santo andréseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG