Cemig captará para comprar Terna e busca novas aquisições

BELO HORIZONTE (Reuters) - A Companhia de Energia de Minas Gerais (Cemig) anunciou na madrugada desta sexta-feira a compra da holding de transmissão de energia elétrica Terna, por 2,33 bilhões de reais, e anunciou que está avaliando novas aquisições. Segundo o presidente da empresa, Djalma de Morais, entre os alvos da companhia estaria a espanhola Endesa.

Reuters |

"Se for bom o ativo e se realmente estiver à venda vamos lá, não estamos negociando ainda, mas se for colocado à venda poderemos prospectar, vamos analisar os ativos e avaliar a viabilidade", disse

"As aquisições da Cemig estão apenas começando, estamos prospectando outras empresas, nos próximos dias teremos novidades", complementou sem dar detalhes.

Prevendo novas aquisições a Cemig vai usar apenas 900 milhões de reais do seu caixa para comprar a Terna, disse mais cedo em reunião com analistas o presidente da companhia.

Outros 1,4 bilhão de reais deverão ser captados no mercado por instrumentos ainda não definidos, mas uma possível emissão de ações pela empresa controlada pelo Estado de Minas Gerais foi descartada por executivos da companhia.

"Estamos com várias alternativas em estudo, ainda não temos a estrutura, mas já estamos negociando há algum tempo e procurando o menor custo", explicou em teleconferência para analistas o diretor de relações com investidores e controle de participações, Luiz Fernando Rolla.

"Vamos captar no mercado local e, se o mercado local estiver um pouco estressado, podemos ir ao mercado externo...Não passou por nós qualquer tipo de lançamento de ações", complementou.

Além do pagamento de 2,3 bilhões de reais previsto para 30 de setembro deste ano, a Cemig vai assumir dívidas de 1,5 bilhão de reais e outros passivos, segundo Morais, totalizando um valor de 5,1 bilhões de reais para a Terna.

O preço de compra da Terna, que atua em transmissão de energia em 11 Estados do país, corresponde a 40,29 reais por unit da companhia --cada unit é formado por uma ação ordinária e duas ações preferenciais. O pagamento está previsto para 30 de setembro.

O valor corresponde a ágio de 27,7 por cento sobre o fechamento das units da Terna na quinta-feira, considerado alto pelo mercado que puniu as ações da Cemig e valorizou as da Terna. Por volta das 13h15, as ações preferenciais da Cemig caíam 3,93 por cento e as da Terna subiam 16,83 por cento.

"O mercado achou caro o prêmio de 28 por cento, mas estão vendo no curto prazo. No médio e longo prazo a compra é bem positiva para a Cemig", avaliou a analista da SLW Corretora Rosângela Ribeiro.

A analista disse desconhecer o ativo que poderia estar na mira da Cemig, e afirmou que seria uma surpresa se fosse a Endesa, como sendo especulado. "A Endesa acabou de passar por uma reestruturação, a possibilidade é pequena", ponderou.

Respondendo a analistas, o presidente da Cemig porém não descartou nenhuma aquisição, independente do tamanho.

"Se o ativo é bom e oferece boa rentabilidade e sinergia nós vamos buscar, não estamos medindo volume nem preço", explicou, afirmando que uma próxima compra pode contar ou não com parceiros.

"Não estamos vendo pequenos ativos, estamos vendo ativos relevantes", frisou Morais.

A companhia mineira comprará 173.527.113 ações ordinárias representando aproximadamente 85,27 por cento do capital votante e cerca de 65,86 por cento do capital total da Terna Participações.

De acordo com apresentação a analistas, a receita da Cemig será elevada em cerca de 600 milhões de reais após a incorporação total da Terna. Por outro lado, após o pagamento da empresa, a relação endividamento com capitalização deverá subir dos 35 por cento atuais para cerca de 51 por cento.

"É um ativo de alta qualidade que vai produzir sustentabilidade bastante atrativa", destacou Rolla durante apresentação aos analistas.

A companhia comprada pela Cemig é controlada pela italiana Terna SpA.

A Terna Participações detém Transmissora Sudeste Nordeste; Novatrans Energia; Empresa de Transmissão de Energia do Oeste; Empresa de Transmissão do Alto Uruguai; Brasnorte Transmissora de Energia e Terna Serviços, que juntas possuem mais de 3.330 quilômetros de linhas de transmissão construídas e 386 quilômetros de linhas em construção.

Com a operação, a Cemig amplia sua rede de transmissão de energia para 9.508 quilômetros, crescimento de 65 por cento. Além disso, a companhia aumentará participação no setor de transmissão brasileiro dos atuais 5,4 para 12,6 por cento.

(Por Alberto Alerigi Jr., Denise Luna e Marcelo Portela)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG