Cel. Félix admite que pode ter se confundido sobre tiro

O coronel Eduardo José Félix, do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), admitiu hoje que sua equipe pode ter se confundido sobre o suposto tiro que teria motivado, na sexta-feira, a invasão do apartamento em Santo André onde Lindemberg Alves mantinha reféns as menores Eloá Cristina Pimentel e Nayara Rodrigues da Silva. Pode ter havido um outro barulho e a equipe ter interpretado como um tiro.

Agência Estado |

Pode, não dá para dizer que não, mas por enquanto as equipes e as testemunhas afirmam que o barulho partiu do interior do apartamento", afirmou, durante entrevista coletiva após prestar depoimento no 6º Distrito Policial de Santo André, no ABC paulista.

De acordo com o coronel Félix, os policiais podem ter confundido o barulho de rojão com o de um tiro, mas ponderou que aguardará o laudo do Instituto de Criminalística (IC) para uma conclusão final.

A estudante Nayara declarou ontem, em depoimento à polícia, que o tiro que a atingiu e os outros dois que vitimaram a amiga Eloá só foram disparados após a invasão do cativeiro. O coronel afirmou que respeita o depoimento de Nayara, testemunha ocular do crime, e que ela aparenta ser uma "menina segura, responsável e firme em suas ações", mas questionou: "Acredito que ela pode ter de confundido sim, e não estou desqualificando o depoimento dela, mas de repente ela pode ter se confundido. Assim como a Nayara pode ter se confundido, a minha equipe também."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG