Gony Arruda, último remanescente dos tucanos no primeiro escalão do Estado, se antecipa à decisão da sigla de expulsá-lo

O secretário do Esporte do Ceará, Gony Arruda, deixou o PSDB nesta segunda-feira (13), antes de ser expulso do partido pela direção estadual por infidelidade partidária. O conselho de ética da sigla já havia decidido pela expulsão de Gony. Após ter sido reeleito deputado estadual pelo PSDB, ele aceitou o convite do governador Cid Gomes (PSB) para fazer parte do secretariado do governo do Estado.

Gony Arruda, secretário de Esportes no governo de Cid Gomes (PSB)
Divulgação
Gony Arruda, secretário de Esportes no governo de Cid Gomes (PSB)
Desde que assumiu a pasta do Esporte, a expulsão de Gony Arruda começou a ser cogitada pela direção estadual do Ceará. O PSDB passou os quatro anos do primeiro mandato de Cid Gomes como governista, inclusive tendo o atual presidente estadual, Marcos Cals, à frente da Secretaria de Justiça. Contudo, nas últimas eleições o PSB de Cid escolheu apoiar os nomes dos senadores José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (PMDB), deixando Tasso Jereissati de lado, o que fez os tucanos saírem do governo, a partir do segundo mandato.

O caso mostra a indisposição de parte dos tucanos de fazer oposição a Cid. Na prática, a bancada estadual, formada por sete parlamentares, não mostra qualquer intenção de fazer frente ao governo cidista. Na atual legislatura, nenhum deles votou contra Cid. A nomeação de Gony para comandar a Secretaria de Esporte, quando Fortaleza se prepara para ser uma das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014, é outra prova de que as ligações entre os tucanos e Cid não sofreram tantos abalos quanto Tasso gostaria.

Gony disse que a decisão de expulsá-lo é injusta, já que ele consultou a bancada estadual antes de aceitar o convite de Cid, e todos concordaram, com exceção do deputado Fernando Hugo - que preferiu não se posicionar. Ele se diz vítima de perseguição dentro do PSDB e, por isso, segundo ele, decidiu abandonar a sigla.

O presidente do PSDB do Ceará, Marcos Cals, pondera que a executiva do partido é quem deveria ter sido ouvida, e não somente os deputados. Gony rebate, e diz que o próprio Cals não fez isso quando aceitou ser secretário de Justiça, atendendo a um chamado de Cid no primeiro mandato

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.