Secretário de Cid Gomes anuncia saída do PSDB

Gony Arruda, último remanescente dos tucanos no primeiro escalão do Estado, se antecipa à decisão da sigla de expulsá-lo

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

O secretário do Esporte do Ceará, Gony Arruda, deixou o PSDB nesta segunda-feira (13), antes de ser expulso do partido pela direção estadual por infidelidade partidária. O conselho de ética da sigla já havia decidido pela expulsão de Gony. Após ter sido reeleito deputado estadual pelo PSDB, ele aceitou o convite do governador Cid Gomes (PSB) para fazer parte do secretariado do governo do Estado.

Divulgação
Gony Arruda, secretário de Esportes no governo de Cid Gomes (PSB)
Desde que assumiu a pasta do Esporte, a expulsão de Gony Arruda começou a ser cogitada pela direção estadual do Ceará. O PSDB passou os quatro anos do primeiro mandato de Cid Gomes como governista, inclusive tendo o atual presidente estadual, Marcos Cals, à frente da Secretaria de Justiça. Contudo, nas últimas eleições o PSB de Cid escolheu apoiar os nomes dos senadores José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (PMDB), deixando Tasso Jereissati de lado, o que fez os tucanos saírem do governo, a partir do segundo mandato.

O caso mostra a indisposição de parte dos tucanos de fazer oposição a Cid. Na prática, a bancada estadual, formada por sete parlamentares, não mostra qualquer intenção de fazer frente ao governo cidista. Na atual legislatura, nenhum deles votou contra Cid. A nomeação de Gony para comandar a Secretaria de Esporte, quando Fortaleza se prepara para ser uma das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014, é outra prova de que as ligações entre os tucanos e Cid não sofreram tantos abalos quanto Tasso gostaria.

Gony disse que a decisão de expulsá-lo é injusta, já que ele consultou a bancada estadual antes de aceitar o convite de Cid, e todos concordaram, com exceção do deputado Fernando Hugo - que preferiu não se posicionar. Ele se diz vítima de perseguição dentro do PSDB e, por isso, segundo ele, decidiu abandonar a sigla.

O presidente do PSDB do Ceará, Marcos Cals, pondera que a executiva do partido é quem deveria ter sido ouvida, e não somente os deputados. Gony rebate, e diz que o próprio Cals não fez isso quando aceitou ser secretário de Justiça, atendendo a um chamado de Cid no primeiro mandato

    Leia tudo sobre: gony arrudacid gomesceará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG