PT monta comissão para investigar prefeito foragido do Ceará

Antônio Teixeira de Oliveira teve a prisão decretada pela Justiça. Ele é acusado de desviar recursos publicos

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

O PT montou na última segunda-feira (28) uma comissão de sindicância para apurar as denúncias contra o prefeito afastado do município de Senador Pompeu, Antônio Teixeira de Oliveira (PT), foragido desde o dia 21 de junho. Antônio Teixeira é acusado de desviar recursos públicos e criar uma comissão supostamente para apurar irregularidades, mas que teria o real objetivo de esconder fraudes cometidas em sua administração.

Leia também: Justiça manda prender prefeito de cidade do interior do Ceará

A comissão tem até o dia 6 de julho para apresentar um parecer sobre a situação do prefeito afastado. Nos próximos dias, os integrantes do colegiado vão ouvir o diretório municipal do PT em Senador Pompeu. Só então a sigla irá decidir se instala um procedimento disciplinar para expulsar ou não o prefeito do partido.

Reprodução Google Maps
Senador Pompeu fica a 270 quilômetros de Fortaleza
A prefeita de Fortaleza e presidente estadual do PT, Luizianne Lins, foi cautelosa ao falar sobre o caso envolvendo o correligionário. “Nós somos contra a corrupção, mas precisamos ouvir a defesa do prefeito”, ponderou. Para o vice-presidente estadual do partido, deputado Antônio Carlos, as acusações que recaem sobre o prefeito afastado de Senador Pompeu podem ser reflexo da disputa acirrada no município, já para as próximas eleições.

A comissão de sindicância formada pela executiva estadual do PT é composta pelo prefeito de Mauriti, Isaac Júnior, e pelos dirigentes Antônio Ibiapino e Reudson de Souza.

Segundo as investigações, em 2008 o prefeito de Senador Pompeu desviou recursos públicos, fez pagamentos indevidos e emitiu cheques para pagamentos de empresas que forneciam notas fiscais frias. De acordo com o Ministério Público, para esconder as fraudes o prefeito constituiu uma comissão com a suposta finalidade de apurar irregularidades cometidas por servidores municipais. Mas, em vez disso, a comissão produziu provas que o inocentassem.

A prefeitura de Senador Pompeu fraudava as licitações de obras públicas do pequeno município de 30 mil habitantes, localizado no sertão cearense, a 270 quilômetros de Fortaleza, apontam as investigações.

Foragido

Desde que a prisão foi decretada pela Justiça do Ceará, Antônio Teixeira de Oliveira é considerado foragido pela Polícia Civil do Ceará. De acordo com o delegado titular da Delegacia de Capturas, Tarcísio Coelho, não há pistas que comprovem que o prefeito continue em território cearense.

Na segunda-feira (28), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou pedido de liminar no habeas corpus ao prefeito foragido. O processo, contudo, ainda terá o mérito julgado. O advogado do prefeito, Hélio Leitão, que assumiu o caso nesta semana, contou a reportagem do iG que a defesa ainda está elaborando uma estratégia e que não há uma expectativa de que Antônio Teixeira se entregue à polícia.

    Leia tudo sobre: senador pompeucearáministério público

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG