Prefeitura de Fortaleza suspende parcela do 13º dos professores

Luizianne Lins só vai pagar os 40% do valor quando os docentes voltarem às salas de aula. Greve dura mais de 50 dias

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Agência Assembleia Legislativa
Luizianne Lins, prefeita de Fortaleza
Os professores da rede municipal de ensino de Fortaleza, em greve há 50 dias , não irão receber a primeira parcela do 13º salário adiantada, como de costume. Segundo a Secretaria de Administração Municipal (SAM), o adiantamento de 40% dos professores grevistas, que seria pago neste semestre, não será pago agora.

Os professores municipais em greve reivindicam salário-base de R$1.450. A Prefeitura de Fortaleza diz que cumpre a lei nacional que fixou o piso do magistério em 2008, determinado pelo Ministério da Educação (MEC) e reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que, atualmente, com os reajustes anuais, é de R$ 1.187. No último dia 7, os vereadores de Fortaleza aprovaram, sob protesto, a lei que define o valor de R$ 1.187,97 como salário base para professores de nível médio e R$ 1.439,03 para professores de nível superior.

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), já havia ameaçado suspender o benefício no último dia 10. Nesta quarta-feira (15), o secretário da Administração Municipal, Vaumik Ribeiro, confirmou que os professores em greve ficarão sem receber o adiantamento.

A greve da categoria teve início no fim de mês de abril , quando o calendário escolar de 2010 foi concluído. Segundo a direção do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação do Ceará (Sindiute), 96% dos professores aderiram a greve, afetando os 230 mil alunos matriculados nas 420 escolas da rede municipal.

Outra medida que será adotada pela Prefeitura de Fortaleza é a convocação dos professores do quadro de substitutos e a abertura de seleção de docentes para que o ano letivo de 2011 seja iniciado nas escolas do município.

Para normalizar o calendário escolar, a secretária interina de Educação, Ana Maria Fontenele, informou que pretende realizar aulas aos sábados. O ano letivo é composto por 200 dias de aulas. Até agora, os alunos de Fortaleza ainda não tiveram um dia de aula sequer.

    Leia tudo sobre: escolaFortalezaCearáeducaçãoprofessores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG