Por 7 dias, presa é acorrentada na janela de delegacia do Ceará

A delegacia só tinha vagas para homens. Para não colocá-la entre os detentos, delegado acorrentou a mulher

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

A Superintendência de Polícia Civil do Ceará afastou o delegado responsável por manter uma presa acorrentada por sete dias às grades da janela da cozinha da Delegacia Regional de Russas, município localizado na região Jaguaribana, distante 165 quilômetros de Fortaleza.

Nayara Nogueira dos Santos, de 18 anos, foi presa em flagrante no dia 28 de março, acusada de tentativa de homicídio. Como não podia ficar na única cela da delegacia junto com 38 homens, o delegado plantonista aprisionou a jovem com algemas e uma corrente na cozinha da unidade.

nullEste é mais um caso que mostra os graves problemas do sistema prisional no País. Embora tenham acontecido alguns avanços nos últimos anos em algumas regiões do Brasil, boa parte das delegacias, cadeias e presídios estão em grave situação.

O superintendente da Polícia Civil, Luiz Carlos Dantas, decidiu afastar o delegado regional de Russas, Luciano Barreto. Dantas informou que foi iniciado um inquérito para apurar de quem partiu a ordem para que Nayara Nogueira ficasse presa daquela forma.

De acordo com a titular da Delegacia Municipal de Russas, Luciana Costa, a unidade sofre com o excesso de presos na única cela que possui desde outubro de 2010, quando a Justiça do Ceará determinou a interdição da cadeia pública da cidade. A cela, projetada para oito detentos, hoje acomoda 38 homens.

Para o superintendente, a superlotação não releva a forma como a presa foi tratada. “Nada disso justifica uma atitude como essa", disse ele.

Segundo Luciana, no dia seguinte ao flagrante, um ofício foi encaminhado ao Fórum Juiz Moacir de Souza Rocha de Russas. Uma semana se passou, e o pedido só foi atendido ontem, depois que um vídeo com imagens da presa acorrentada foi divulgado. Nayara está recolhida na Cadeia Pública de Jaguaruana, cidade próxima a Russas.

“Ela era tirada de vez em quando de lá, quando recebia visitas. Ela ficava na inspetoria, outra hora na cozinha ou na sala de atendimento. Ficava onde dava”, contou a titular da delegacia. “Não é nossa incumbência ficar com a presa. Foi uma situação improvisada”, justificou. Segundo a delegada, se houver outra prisão de uma mulher, ela ficará em situação semelhante.

Nayara é acusada de tentativa de homicídio. Ela teria ateado fogo no corpo do namorado, internado a unidade de queimados do Instituto José Frota (IJF), em Fortaleza.

    Leia tudo sobre: CearáRussasdelegaciapresos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG