Polícia abre inquérito para apurar morte de aposentada no Ceará

Técnica em enfermagem suspeita de ter aplicado glicerina em vez de soro em mulher foi afastada das suas atividades

AE |

selo

A Polícia do Ceará abriu inquérito para apurar se a aposentada Maria Carmelita Laurentino, de 75 anos, morreu depois de receber glicerina em vez de soro . O caso ocorreu no último dia 20, no Hospital Geral de Missão Velha, cidade do Cariri cearense. A técnica em enfermagem suspeita de ter cometido o erro foi afastada, segundo informou o prefeito da cidade, Washington Fechine. O nome dela não foi divulgado. 

A troca foi percebida quando a aposentada, que tinha problemas respiratórios, procurou atendimento no hospital da cidade vizinha, o São Vicente, em Barbalha. O médico que a atendeu, Rodrigo Viana, foi quem notou algo de errado. Viana providenciou a medicação correta, mas a paciente morreu duas horas após ter dado entrada no hospital. 

Viana acredita que alguém no hospital de Missão Velha possa ter confundido as bolsas de soro com as de glicerina, que é usada (aplicada de forma retal) para realizar lavagem intestinal. O médico disse que se aplicada na veia a glicerina pode provocar embolia.

Depois de detectar o erro, a direção do hospital São Vicente registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Barbalha. De acordo com o delegado responsável pelo inquérito, Marcos Antônio dos Santos, testemunhas ouvidas disseram ter visto a técnica de enfermagem aplicando a bolsa com o medicamento, acreditando tratar-se de soro. 

O delegado informa que caso o laudo do Instituto Médico Legal (IML), localizado em Juazeiro Norte, também no Cariri, comprove a glicerina como a causa da morte, a funcionária do hospital de Missão Velha será indiciada por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). O laudo deve sair nos próximos dias.

    Leia tudo sobre: cearáaposentadaglicerinasoro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG