No Ceará, traficante sobrevive a nove tiros de fuzil

A polícia não divulgou quem tentou matar o traficante, que foi atingido nas pernas e nádegas

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Reprodução Google Maps
O bairro Parangaba fica próximo ao aeroporto de Fortaleza
Os nove tiros que atingiram um traficante na noite de quinta-feira (5), em Fortaleza, não foram suficientes para matá-lo. Ao todo, 32 disparos foram efetuados contra o carro de Marcos Antônio da Silva, 27 anos. A polícia ainda não divulgou quem tentou matar Silva.

Ele foi internado em um hospital da capital cearense e se recupera dos ferimentos, sob escolta policial. As investigações ainda não apontaram os autores do crime.

De acordo com a Delegacia de Narcóticos (Denarc), o traficante foi atingido com nove projéteis nas pernas e nádegas, mas não corre risco. Segundo a polícia, ele chegou a deixar o hospital para prestar depoimentos na tarde desta sexta-feira (6) e, em seguida, foi internado novamente.

A tentativa de homicídio aconteceu quando Marcos Antônio deixava a garagem do condomínio que servia de base e laboratório, localizado na avenida Augusto dos Anjos, no bairro Parangaba. Ele responde a processos criminais por tráfico de drogas, três homicídios, dois roubos de veículos e um sequestro.

No automóvel em que Marcos estava no momento dos disparos, havia 47 tijolos de maconha prensada. Na cena do crime, a perícia encontrou cápsulas de fuzil modelo Art-556, deflagradas na tentativa de assassinato. A arma é fabricada no Brasil e é usada pela Policia Militar de São Paulo, por exemplo. Ela possui opções de tiro automático e rajadas controladas, própria para operações de tropas especiais.

No apartamento do traficante, a polícia apreendeu sete quilos de pasta base para cocaína, 439 gramas de crack, uma balança de precisão, além de dois revólveres calibre 38, uma pistola e munição. Segundo a polícia, Marcos se mudou para o local há dez dias. A localização é estratégica para a distribuição para bairros da periferia cearense como Bom Jardim, Granja Portugal e Conjunto Ceará.

    Leia tudo sobre: CearáFortalezaviolênciaarmas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG