Justiça condena parque do Ceará a pagar R$ 163 mil de indenização

Beach Park foi considerado culpado pela morte, por afogamento, de um menino de 7 anos em um dos seus brinquedos em 2002

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

O Beach Park foi condenado pela Justiça do Ceará a pagar uma indenização no valor de 300 salários mínimos – o equivalente hoje a mais de R$163 mil – à família de uma criança morta em um dos brinquedos do parque aquático. O menino morreu afogado em 2002, aos sete anos, em uma piscina de correnteza artificial.

A piscina se chama Correnteza Encantada e simula um rio com correnteza, que permite passeios em boias. Ela tem 300 metros de extensão, é indicado como uma atração para toda família e está na categoria de brinquedo relaxante. Por medida de segurança, a administração recomenda que crianças de até oito anos estejam acompanhadas pelo responsável. 

Divulgação
O Beach Park recebe um milhão de pessoas por ano. Para se ter uma ideia, em 2010 o Ceará recebeu 2,5 milhões de turistas
De acordo com o processo que levou à condenação do parque aquático, o garoto se divertia no brinquedo acompanhado do irmão quando foi puxado pela força da água. O irmão, ao perceber, tentou segurá-lo, mas não conseguiu. A família afirmou que ele gritou pedindo socorro aos instrutores do Beack Park, mas não foi atendido. Quem tirou o garoto da água e o levou para a enfermaria foram dois visitantes. Os pais da criança também reclamaram da demora de quase uma hora para que a ambulância chegasse ao local. Quando isso aconteceu, o menino já estava morto.

O relator do processo chamou atenção para a profundidade do brinquedo. Ele deveria ter no máximo 90 centímetros, mas, no dia da perícia, era de um metro de altura. Segundo a justiça, as variações na altura em decorrência das ondas formadas pela movimentação da correnteza podem ser maiores, o que teria contribuído para o afogamento.

O Beach Park informou à reportagem do iG que vem melhorando a segurança do complexo ao longo dos anos, mas que o parque aquático sempre contou com salva-vidas treinados e, que, atualmente, existem 140. Eles são certificados pela empresa americana Jeff Ellis, responsável pelo treinamento e certificação dos salva-vidas dos maiores parques aquáticos do mundo. Para a correnteza encantada, onde o garoto se afogou, são destinados 11 profissionais. O complexo conta ainda com uma equipe formada por dois médicos, um enfermeiro e três auxiliares de enfermagem, além de ambulatório com ambulância própria.

O parque

O Beach Park ocupa uma área superior a 180 mil metros quadrados, equivalente a 18 campos de futebol, na praia do Porto das Dunas, a 16 quilômetros de Fortaleza. O empreendimento foi inaugurado em 1989 pelos empresários João Gentil e Arialdo Pinho, atual chefe da Casal Civil do governado Cid Gomes (PSB).

Na época, existia apenas um restaurante e o parque aquático. A partir de 1996, o parque se tornou um complexo com um resort composto por 182 apartamentos, vários restaurantes, bares e barraca de praia. Mais de um milhão de pessoas circulam pelo complexo por ano. Para se ter uma ideia, em 2010, o Ceará recebeu 2,5 milhões de turistas.

    Leia tudo sobre: beach parkcearámorteafogamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG