Greve em Fortaleza tem tiro e portão depredado

Trabalhadores da construção civil depredam prédio do governo. Eles dizem que um tiro vindo do prédio provocou tumulto

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

O prédio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) foi depredado na manhã de terça-feira (19) durante manifestação de 300 operários da construção civil de Fortaleza. O portão do estacionamento foi arrancado. O alvo era um empreendimento imobiliário em construção, que também sofreu danos, localizado em frente ao órgão estadual.

Leia também: Greve de operários da construção civil para centro de Fortaleza

A manifestação aconteceu por volta das 9 horas da manhã. Quando a reportagem do iG chegou ao local, o portão já havia sido recolocado no lugar, mas o canteiro de obras que fica em frente estava vazio e com as grades de proteção danificadas.

De acordo com o policial militar que faz a guarda da Funceme, subtenente José Liarth, os operários portavam pedras e pedaços de madeira. Um boletim de ocorrência (B.O) foi lavrado acusando o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Fortaleza e Região Metropolitana (STICCRMF) pelos estragos.

O diretor do STICCRMF, Francisco Gonçalves, afirma que houve um disparo de arma de fogo no momento em que os grevistas realizavam o ato na obra em frente a Funceme. Segundo ele, isso teria causado revolta entre os manifestantes e provocado o incidente. “O protesto era voltado para a obra. Não era um caso de polícia”, ponderou.

Em greve desde a última quarta-feira (13), ontem os trabalhadores causaram tumulto e interditaram duas das principais vias da capital cearense, o que levou o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Ceará (Sinduscon-CE) a solicitar proteção policial para o entorno de alguns canteiros de obras da cidade.

Nesta quarta-feira (20) acontece uma reunião na Superintendência Regional do Trabalho entre representantes do Sinduscon-CE e do STICCRMF para discutir as reivindicações. Os trabalhadores querem reajuste de 20%, mas o sindicato patronal oferece 7,43%.

    Leia tudo sobre: FortalezaCearágreveconstrução civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG