Ex-PM acusado de assassinar adolescente vai a júri popular

Garoto de 14 anos foi morto com um tiro no dia em que saiu para trabalhar com o pai; Estado foi condenado a pagar indenização para a família

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Reprodução/TV Globo
O garoto Bruce Cristian de Souza Oliveira, assassinado há um ano em Fortaleza
O ex-policial militar Yuri da Silveira Alves Batista, acusado de assassinar o adolescente Bruce Cristian Souza Oliveira será levado a júri popular. O crime aconteceu há um ano e oito meses, em Fortaleza.

Bruce foi morto no dia 25 de julho de 2010, um domingo. Ele havia saído para acompanhar o trabalho do pai, Francisco das Chagas de Oliveira Souza, técnico em refrigeração. O ex-PM atirou contra os dois e acertou a cabeça do garoto. Ele alegou que pediu ao pai que parasse o veículo, mas como não foi atendido, decidiu atirar com sua arma de fogo. O adolescente morreu na hora.

Yuri da Silveira pertencia aos quadros do Batalhão de Policiamento Comunitário da PM – do programa Ronda do Quarteirão. Ele foi expulso da corporação em novembro de 2010. O ex-policial será julgado por homicídio duplamente qualificado – quando o motivo fútil e impossibilita a defesa da vítima - e ainda por lesão corporal contra o pai do adolescente.

O Ministério Público do Ceará (MP/CE) argumenta que a morte do adolescente decorreu de ação imprudente e precipitada. Já a defesa sustenta não ter havido conduta dolosa por parte do acusado. Ou seja, que ele não teve a intenção de matar.

O julgamento ainda não foi marcado. Em julho de 2011, quando o caso completou um ano, o iG mostrou que faltava apenas odepoimento do ex-secretário de Segurança do Ceará, Roberto Monteiro, para que oprocesso chegue à fase final .

Indenização

Ontem, uma outra decisão da Justiça do Ceará condenou o Estado do Ceará a pagar uma pensão á família de Bruce . Foi determinado o pagamento de 2/3 do valor do salário mínimo aos pais da vítima – o equivalente a R$ 414,66 – até a data em que o filho assassinado completaria 25 anos de idade. Passado esse período, o valor da indenização será corrigido para 1/3 do salário mínimo, até o dia em que ele completaria 65 anos. Como a decisão tem caráter de antecipação de tutela, ela deverá ser mantida até o julgamento final da ação. A decisão é em primeira instância e cabe recurso.

    Leia tudo sobre: mortepolícia militarindenizaçãopensãojúri popular

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG