Justiça quebra sigilo de internautas que insultaram nordestinos após acidente

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Internautas que fizeram comentários contra nordestinos em matérias sobre acidente de ônibus no Ceará, que resultou em 18 mortes, terão endereços de IP disponibilizados

A Justiça Federal no Caerá acatou pedido do Ministério Público Federal MPF/CE e determinou a quebra de sigilo telemático de seis internautas acusados de fazer comentários discriminatórios em matérias jornalísticas que noticiaram acidente com ônibus no Ceará.

O acidente: Ônibus tomba em estrada do Ceará e deixa ao menos 18 mortos

Canindé Notícias
Ônibus teria tentado desvias de um motociclista e tombou na BR-020, altura de Canindé

O acidente na BR-020 aconteceu na manhã de sábado (18), após o veículo sair de Boa Viagem (CE) com destino a Fortaleza (CE) e tombar no município de Canindé (CE), deixando 18 mortos

Segundo o MPF, no dia seguinte ao acidente foram identificados e coletados dezenas de comentários com insultos a nordestinos em portais de notícias que veicularam o acidente na BR-020.

De acordo com o procurador Edmac Trigueiro, a conduta dos internautas poderá ser enquadrada como crime de racismo. Se condenados, cada um dos seis internautas poderá pegar pena de dois a cinco anos de prisão.

Para o juiz federal João Batista Martins Prata Braga, que julgou o pedido, "resta imprescindível para a definição dos responsáveis pelas condutas o afastamento do sigilo dos dados". "Cabe afirmar que inexiste outro meio apto a identificar os responsáveis pelo evento, devendo ainda ser considerado o fato de muitos usuários utilizarem-se de inverídicos dados cadastrais", completou o juiz.

O acidente:


Leia tudo sobre: acidentecearáfortalezainternautas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas