Com prisões e depredação, greve reduz frota de ônibus pela metade em Fortaleza

Manifestações causaram transtornos principalmente nos sete terminais de integração da cidade.  Motoristas e cobradores reivindicam reajuste salarial de 15%

Daniel Aderaldo - iG Ceará | - Atualizada às

No primeiro dia da greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza , o número de ônibus circulando na cidade não passou da metade da frota. Durante as manifestações realizadas pelos grevistas nesta quarta-feira (20), houve depredação de ônibus e dois cobradores foram presos.

Leia também:  Motoristas e cobradores de ônibus decretam greve em Fortaleza

Daniel Aderaldo/iG
Ônibus parados no entorno do terminal do Papicu, em Fortaleza

Quem depende do transporte público na capital teve à disposição no início da manhã apenas 30% do efetivo normal de ônibus para um dia da semana. Segundo monitoramento da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), entre 7h e 8h da manhã circularam apenas 561 dos 1765 veículos disponíveis para o horário.

A situação permaneceu assim – com alguma variação – até às 11h, quando o número de veículos nas ruas foi reduzido para 163 – 13,31% do normal. Durante a tarde, o efetivo subiu para a metade da frota.

Daniel Aderaldo/iG
Pneu de ônibus que teria sido esvaziado por manifestantes

A frota de ônibus de Fortaleza tem 1.796 veículos distribuídos em 251 linhas. A paralisação afeta cerca de um milhão de usuários do transporte público da capital.

Segundo o Corpo de Bombeiros, um ônibus estacionado em uma rua do bairro Edson Queiroz foi incendiado durante a tarde por três homens. Eles fugiram em uma moto e não foram identificados.

As manifestações causaram transtornos principalmente nos sete terminais de integração da cidade. No terminal de Antônio Bezerra dois cobradores foram presos em flagrante por esvaziarem pneus de ônibus. Alguns motoristas foram impedidos pelos grevistas de seguir viagem no início da manhã.

Os profissionais reivindicam reajuste salarial de 15%, mas após várias rodadas de negociação os empresários ofereceram apenas 8,5%. O salário base dos motoristas é de R$ 1.224,63. Já o dos cobradores é de R$ 734. Os mais de oito mil profissionais querem ainda aumento da cesta básica de R$ 60 para R$ 80 e do auxílio alimentação de R$ 7 para R$ 12.

    Leia tudo sobre: greve de ônibusFortalezagrevetransporte coletivo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG