Parada por dois meses e meio, construção de oceanário é retomada no Ceará

Orçada em R$ 270 milhões e ainda em fase inicial, obra foi embargada por falta estudos arqueológicos sobre vestígios de civilizações antigas no local

Daniel Aderaldo - iG Ceará |

A empresa contratada pelo governo do Ceará para construir um oceanário na orla de Fortaleza retomou os trabalhos nesta terça-feira (19). Por falta de estudos preliminares, a obra foi embargada duas vezes e ficou parada, ao todo, por 72 dias. A Justiça Federal no Ceará revogou a interdição na semana passada.

Leia também:  Ceará aposta em aquário para virar 2º destino turístico do Nordeste

Iniciada no dia 7 de março deste ano, a obra do já batizado Acquário Ceará nem bem havia começado quando foi interrompida. Alegando a falta de estudos arqueológicos prévios sobre vestígios de civilizações antigas no local, o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) conseguiu do Ministério Público Federal (MPF) a recomendação para deter operários e máquinas.

A essa altura, o antigo prédio do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Denocs) já havia sido demolido e a terraplanagem do terreno de 21,5 mil metros quadrados, localizado na praia de Iracema, concluída. Agora, a empreiteira responsável voltou ao trabalho fincando estacas no terreno.

Divulgação
Maquete do projeto de como ficará o Acquário Ceara, na praia de Iracema, em Fortaleza

O projeto do aquário oceânico apresenta tanques com capacidade para 18 milhões de litros de água, simulando clima de ambientes de todo planeta com suas faunas características. Segundo a Secretaria de Turismo do Ceará (Setur), o maior e mais moderno aquário do hemisfério Sul.

Empreendimento mais polêmico do governo de Cid Gomes (PSB), o oceanário é alvo de críticas da oposição pelo valor a ser gasto – R$ 270 milhões, segundo dados atuais da Setur. A maior parte do dinheiro vem de um empréstimo (US$ 105 milhões) obtido do Export-Import Bank dos Estados Unidos. O restante sairá dos cofres do Estado.

Em defesa do equipamento, o governo prospecta um incremento de 48% no número de turistas que visitam o Estado, a geração de 150 empregos diretos, 1,6 mil indiretos e 18 mil em toda cadeia produtiva turística. Os números são baseados no desempenho de oceanários de porte parecido instalados em outros países.

Para se ter uma ideia, em 2010, o Ceará recebeu aproximadamente de 2,5 milhões de pessoas. O turismo é responsável por 11% do Produto Interno Bruto (PIB) cearense, que gira em torno de R$ 65 bilhões.

    Leia tudo sobre: FortalezaCearáoceanárioAcquário Ceará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG