Calendário com travestis gera polêmica no Ceará

Deputado estadual critica uso de fotos de homossexuais e travestis fazendo referência a obras sacras

AE |

selo

Uma publicação apoiada pela prefeitura de Fortaleza está gerando polêmica na cidade. Trata-se do Calendário Translendário. Este calendário foi denunciado ontem no plenário da Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Fernando Hugo (PSDB) por apresentar fotos de homossexuais e travestis fazendo referência a obras sacras. "Numa obra de Michelangelo, a Pietà, por exemplo, aparece um travesti posando sentado, desconfigurando a pintura do artista", destacou o tucano.

Segundo Hugo, no calendário há uma simulação da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci, com homossexuais sentados à mesa. O deputado prometeu encaminhar o calendário para o Ministério Público Estadual (MPE) e investigar quanto a prefeitura pagou pela publicação. Revelou ainda que vai enviar o calendário para representantes da Igreja Católica no Ceará, pois segundo ele a publicação é uma afronta às obras consideradas cristãs.

Em sua fala, o deputado disse não ser contra gays, lésbicas, homossexuais ou travestis. Afirmou ser "contra a prefeitura gastar dinheiro com este material, que é improdutivo, irresponsável e insano". O deputado estadual Antônio Carlos (PT) saiu em defesa da publicação do calendário. "O calendário não traz nada demais. Ela apenas foca no respeito à diversidade sexual", afirmou o petista. Para ele, a denúncia de Fernando Hugo é "preconceituosa, exagerada e homofóbica". As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Leia tudo sobre: calendáriotravesti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG