BRASÍLIA - A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado ouve, na terça-feira (18), às 9 horas, a ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira. O objetivo é confirmar e aprofundar a informação de Lina sobre uma reunião reservada em que a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, teria lhe sugerido apressar investigações do fisco em empresas de Fernando Sarney, um dos filhos do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Na interpretação de Lina, a sugestão para apressar as investigações significava encerrá-las, já que o governo teria interesse em manter a aliança eleitoral com Sarney e o PMDB com vistas à sucessão presidencial em 2010.

A informação sobre o encontro com Dilma foi passada pela ex-secretária à imprensa, inclusive em entrevista a uma rede de televisão. Também a chefe de gabinete de Lina, e do atual secretário da Receita Federal, Iraneth Dias Weiler, confirmou a ocorrência da reunião.

Conforme Iraneth, Erenice Guerra, secretária-executiva da Casa Civil, esteve no gabinete de Lina no fim do ano passado. Erenice teria entrado no gabinete sem passar pelas secretárias, numa visita fora de agenda. Logo depois do encontro, Lina teria comentado com Iraneth sobre o convite de Dilma a ela para " um encontro reservado no Planalto " .

A reunião vem sendo negada tanto por Dilma quanto por Erenice e o Palácio do Planalto. Por esta razão, os senadores da oposição já pensam em requerer a vinda de Dilma ao Senado para uma acareação com Lina.

O requerimento para oitiva de Lina Maria Vieira foi apresentado pelo senador Antonio Carlos Júnior (DEM-BA).

(Agência Senado)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.