CBMM adia investimento de R$ 250 mi em Minas Gerais

A Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), única produtora de nióbio do País, resolveu adiar por tempo indeterminado um investimento de R$ 250 milhões para ampliar em até 30% a capacidade de produção em Araxá, no interior de Minas. Com capacidade para produzir 90 mil toneladas de nióbio por ano, a CBMM está trabalhando num ritmo de apenas 50% da sua capacidade.

Agência Estado |

A redução da produção mundial de aço afetou diretamente a empresa que atende siderúrgicas em 50 países.

Sozinha, a CBMM é responsável por 75% da produção mundial de nióbio e exporta 94% do que produz em Araxá.

Segundo informações divulgadas pela direção da empresa, a expansão da produção era uma exigência do mercado pré-crise. O cenário, porém, mudou completamente. Com o desaquecimento, a demanda por nióbio caiu drasticamente em todo o mundo. Embora os balanços das siderúrgicas comecem a revelar recuperação da demanda por aço, o reaquecimento vem acontecendo num ritmo bastante lento. Para a direção da CBMM, o cenário só deve começar a melhorar mesmo num prazo de pelo menos 12 meses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG