O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, defendeu hoje a legalidade dos convênios firmados entre a pasta e movimentos sociais e disse que os casos de irregularidade são pontuais e sempre sanados. Ele condenou as invasões a prédios públicos e privados promovidas pela Via Campesina.

"Foi fora de tom, para dizer o mínimo", afirmou.

Cassel esteve com o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e pretende se encontrar nos próximos dias com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, para falar sobre a situação agrária. Mendes decidiu criar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que também é presidido por ele, um fórum para acompanhar as questões agrárias. O STF também vai julgar em breve a legalidade de uma medida provisória (MP) que prevê punições para esses movimentos. No fim do mês passado o presidente do STF classificou de "ilegal" o repasse de verbas públicas para movimentos sociais que invadem terras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.