Cassel ataca críticos de atualização do índice agrário

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel avaliou há pouco que posições contra a atualização dos índices de produtividade da agricultura, visando à reforma agrária, poderão trazer ineficiência ao setor no Brasil. O que me estranharia é se os (novos) índices fossem muitos exigentes.

Agência Estado |

.. mas não são. Então, hoje, quem é contra a publicação, está protegendo quem não produz", disse, por telefone, à Agência Estado após ser informado que o PMDB recomendou, esta tarde, que o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, não assinasse a portaria interministerial com a mudança.

Cassel disse receber a informação com "naturalidade". "O tema é antigo e sempre suscita reações", considerou. Ele reforçou que a posição dos críticos faz pouco sentido porque é do conhecimento de todos que os novos indicadores são confortáveis para o produtor. "É estranho que, no século XXI, pessoas ainda protejam a improdutividade", reforçou.

Parte dos deputados do PMDB apresentou esta tarde uma alegação contra a atualização do índice, que poderia prejudicar os produtores em anos atípicos. O exemplo foi do setor aviário: em função do aumento da oferta de aves em Santa Catarina, optou-se por reduzir a produção a fim de equilibrar os preços do mercado. Uma decisão como esta, segundo os parlamentares, poderia contar negativamente para o resultado da produtividade de alguns setores em momentos de rearranjo do mercado.

O argumento foi rebatido de pronto pelo ministro do Desenvolvimento Agrário. Segundo ele, a lei estabelece que em situações excepcionais de clima ou mercado, a contabilização da produtividade exclua o ano em questão. "Este não é um bom argumento", analisou. Para Cassel, a ideologia é que está por trás de quem está contra a atualização do índice.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG