Cassada liminar que obrigava USP a readmitir funcionário

A Universidade de São Paulo (USP) anunciou no começo da noite, por meio de nota, que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) cassou a liminar que determinava a reintegração de Claudionor Brandão ao quadro de funcionários. Diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), ele foi dispensado no fim do ano passado.

Agência Estado |

"Permanece, portanto, o ato praticado pela Universidade, que demitiu, por justa causa, o referido servidor", informou a instituição. Para reverter a decisão da 26ª Vara da Justiça do Trabalho, que ordenava a volta do empregado, a consultoria jurídica da universidade entrou com um mandado de segurança.

O técnico em manutenção de refrigeração trabalhava desde 1987 na USP e é um dos líderes da greve que na última terça-feira terminou em confronto entre a Tropa de Choque da Polícia Militar (PM), e professores, funcionários e estudantes. Brandão foi um dos três manifestantes detidos por crimes de dano ao patrimônio público, desacato à autoridade e resistência à prisão. A readmissão do dirigente é uma das reivindicações da greve organizada pelo Sintusp.

Brandão foi demitido sob a acusação de dano ao patrimônio público. A direção da USP argumentou que em 2007 o ex-funcionário depredou a reitoria da universidade durante invasão de funcionários e estudantes. A universidade ainda entrou na Justiça com dois processos contra o dirigente. Um deles, aberto em 2002, o acusa de danificar laboratórios da USP com produtos químicos. O outro o denuncia por invasão à biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, em 2005. Brandão nega todas as acusações.

    Leia tudo sobre: usp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG