O número de casos suspeitos de dengue hemorrágica e de mortes registradas em pacientes atendidos pelo Hospital Ana Costa, que congrega mais de 120 mil pessoas em seu plano de saúde, em toda a Baixada Santista, vem preocupando os médicos do estabelecimento, que já classificam a epidemia como a pior dos últimos tempos, incluindo a da década de 90. Para se ter uma ideia da situação, os médicos informaram que, só no mês passado, o hospital registrou mais de 50 mil atendimentos, contra 38.

400 feitos em todo o decorrer de 2009. Apenas neste domingo, o Ana Costa contabilizou 800 hemogramas para o diagnóstico da infecção. O volume de internações, da mesma forma, também foi intensificado no mesmo período, quando foram registrados quatro óbitos, ocasionados pela doença. Outras três mortes estão sendo analisadas.

De acordo com o médico infectologista e diretor-técnico da Divisão de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Evaldo Stanislau Affonso de Araújo, 88% dos casos analisados são do sorotipo 1, que tem acometido mais os jovens, menos expostos a ele nos anos anteriores, com a circulação concomitante do sorotipo 3, que representa risco para os adultos e migrantes. "Além disso, há a possibilidade teórica de infecção sequencial pelos dois sorotipos na mesma temporada, o que pode favorecer a formas mais graves da doença", alertou.

Estudo apresentado ainda pelo diretor clínico do Hospital, José Luiz Boechat Paione, mostrou a existência de 173 casos suspeitos, apenas no período de 11 de janeiro a 1º de março, somente na unidade de Santos. Dentre as 59 internações, 22 pacientes com mais de 12 anos tiveram dengue hemorrágica ou com complicações. Já entre as 28 crianças internadas, 12 apresentaram o mesmo quadro.

Na avaliação do hospital, 39% das internações foram de febre hemorrágica da dengue. Apesar de todas essas manifestações, o secretário de Saúde de Santos, Odílio Rodrigues, descartou a presença de uma epidemia, destacando que as notificações feitas pelo hospital estão sendo analisadas pela Vigilância Epidemiológica do município.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.