Caso Varig: Teixeira não deve depor no Senado na 4ª

O advogado Roberto Teixeira não deverá comparecer ao Senado, na próxima quarta-feira, para falar sobre as denúncias de que usou suas amizades no primeiro escalão do governo para pressionar a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no processo de compra das empresas VarigLog e Varig, que estava cercado de questionamentos jurídicos. Teixeira submeteu-se no domingo a uma angioplastia e recebeu ontem alta da cirurgia.

Agência Estado |

Teixeira, que é amigo e compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi acusado pela ex-diretora da Anac Denise Abreu de tráfico de influência para favorecer o fundo americano Matlin Patterson na compra da VarigLog e da Varig. Já Marco Antonio Audi, sócio da VarigLog, disse que pagou US$ 5 milhões para Teixeira cuidar do caso. Audi também disse que a influência política de Teixeira foi decisiva para a realização do negócio.

Teixeira fora convidado a prestar depoimento na Comissão de Infra-Estrutura do Senado pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO), depois de negociações com o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Também foram convidados os sócios brasileiros da VarigLog, incluindo Audi, Luiz Gallo e Marcos Haftel. Atualmente, os sócios brasileiros e o fundo de investimentos americano Matlin Patterson disputam o controle da VarigLog na Justiça. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG