Caso Polanski: Mitterrand diz que um ministro deve defender os artistas

PARIS ¿ O ministro francês da Cultura, Frederic Mitterrand, afirmou nesta quinta-feira que tem a obrigação de defender os artistas, em uma referência a sua primeira reação à prisão na Suíça do cineasta franco-polonês Roman Polanski, acusado nos Estados Unidos de um crime sexual cometido há 30 anos.

AFP |

No domingo passado, Mitterrand considerou "absolutamente espantoso" que Polanski tenha sido detido por "uma antiga história que não tem realmente sentido".

"O trabalho de um ministro da Cultura é defender os artistas na França. Ponto final", respondeu Mitterrand ao ser questionado se seu apoio veemente a Polanski não era despropositado.

"Sobre o que aconteceu há 30 anos, não faço nenhum juízo", disse o ministro da Cultura em uma entrevista em seu ministério, antes de reconhecer que "o fato é grave, sim", ao falar da acusação contra o cineasta que vive na França desde os anos 70.

Polanski, 76 anos, foi detido no sábado ao desembarcar na Suíça a pedido da justiça dps Estados Unidos, que o acusa de ter mantido "relações sexuais ilegais" com uma adolescente de 13 anos em Los Angeles em 1977.

"Ser uk grande cineasta ou uma celebridade não o coloca acima das leis, mas tampouco abaixo das leis", declarou Mitterrand, que lamentou o "linchamento midiático a que Roman Polanski foi submetido há 30 anos de uma maneira absolutamente alucinante".

"Roman Polanski tem direitos, assim como sua família, como cidadão francês e por ser um imenso creador artístico, a solidariedade e a compaixão do ministro da Cultura francês", completou Mitterrand.

    Leia tudo sobre: roman polanski

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG