Caso de nepotismo no Senado é encaminhado para Corregedoria

O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), encaminhou, nesta segunda-feira, para o corregedor da Casa, Romeu Tuma (PTB-SP), um pedido de investigação sobre a situação de funcionários de empresas terceirizadas.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

De acordo com informações do jornal O Globo, 90% deles são parentes ocupantes de cargos de direção no Legislativo, o que é considerado por diversos senadores como uma forma de driblar a súmula do Supremo Tribunal Federal que proibiu o nepotismo.

Já pedi para o corregedor para instalar a sindicância, limitou-se a dizer Heráclito, que por toda a manhã evitou falar com a imprensa.

Com o drible ao nepotismo, o Senado se encontra no foco de mais uma crise de confiança. Desde o início do ano já se revelou que o ex-diretor-geral da Casa, Agaciel Maia, teria escondido da justiça uma casa avaliada em R$ 5 milhões, o que motivou sua saída do cargo.

Também foi noticiada a queda do ex-diretor de Recursos Humanos, José Carlos Zoghbi, que supostamente usava um apartamento funcional para abrigar um de seus filhos recém casados.

Não obstante o Senado ainda pagou hora extra, referente ao mês de janeiro, a mais de três mil funcionários da Casa, apesar de, no período, o Legislativo estar de recesso.

Leia mais sobre Senado

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG