Caso de Delúbio faz PT adiar votação de Código de Ética

O pedido de anistia do ex-tesoureiro Delúbio Soares deixou o PT tão atordoado que, para evitar dor de cabeça, o partido decidiu adiar mais uma vez a votação do Código de Ética. A nova cartilha, que pretende obrigar qualquer candidato do PT a renunciar ao sigilo fiscal, bancário e telefônico sempre que for alvo de denúncia, passaria pelo crivo do Diretório Nacional justamente no dia em que a volta de Delúbio entrará na pauta, em 8 de maio.

Agência Estado |

Alertado para a saia-justa, o comando do PT empurrou o Código de Ética para o segundo semestre e manobra para impedir que a refiliação de Delúbio, expulso no rastro do escândalo do mensalão, em 2005, seja examinada naquele dia.

Pela estratégia combinada na terça-feira, com o apoio do Palácio do Planalto, dois dirigentes do PT alegarão, na reunião do diretório, que o momento é inadequado para mexer nesse vespeiro. Os petistas escalados vão argumentar que o tema ressuscitará a crise do mensalão justamente na hora em que o PT enfrenta um quadro de vulnerabilidade.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a dizer, recentemente, que não é hora de discutir o retorno de Delúbio ao PT. Mais: afirmou que uma decisão assim seria um “tiro no pé” na campanha da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, ao Planalto. Se a maioria dos integrantes do diretório concordar com esse argumento, o pedido do ex-tesoureiro pode ser derrubado ali mesmo, antes da análise do mérito. A intenção é empurrar a votação final, na tentativa de evitar mais desgaste num ano pré-eleitoral. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG