Caso Battisti: Chancelaria italiana analisa medidas contra decisão do Brasil

ROMA - O ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, deu instruções aos diplomatas da Chancelaria de seu País para que façam com máxima urgência uma avaliação sobre possíveis medidas que o governo italiano pode adotar contra a decisão do Brasil de dar o status de refugiado político ao ex-ativista Cesare Battisti.

Agência Ansa |

AP
Battisti foi condenado à prisão perpétua

Battisti foi condenado
à prisão perpétua

As instruções de Frattini foram dadas após o presidente italiano, Giorgio Napolitano, ter informado em nota oficial que "aprecia" a intenção do governo de recorrer a "todo instrumento jurídico previsto no ordenamento brasileiro e no internacional" para conseguir a extradição de Battisti.

O comunicado foi divulgado depois que Napolitano recebeu a resposta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a uma carta enviada por ele no último sábado. Na carta, Lula explicou que a decisão do governo brasileiro de conceder o refúgio político a Battisti está orientada por sólidas bases jurídicas brasileiras e internacionais.

Na noite desta sexta-feira, Napolitano e Frattini se reunirão para debater o assunto.

Battisti, hoje com 54 anos, foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos cometidos entre 1978 e 1979, quando era membro da organização de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC).

Veja também:

Leia mais sobre: Cesare Battisti

    Leia tudo sobre: asilo políticocesare battisti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG