Ao apresentar denúncia sobre a existência de duas contas - uma corrente e outra de poupança - na Caixa Econômica Federal em nome do Senado no valor de R$ 3,74 milhões, o senador Renato Casagrande (PSB-ES) pediu que todos os recursos ali depositados sejam recolhidos à conta única do Tesouro Nacional. O senador informou também que encaminhou requerimento ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pedindo o encerramento das contas paralelas, além da emissão dos extratos dos últimos cinco anos.

Casagrande disse que, por enquanto, não há suspeição sobre as contas que, conforme seu relato, registravam apenas depósitos. Ele apresentou a suposição de que as contas pudessem funcionar para receber pagamentos de vendas de obras do Senado pelo sistema de reembolso. Ele defendeu ainda a exclusão da possibilidade de manutenção de recursos próprios do Senado fora da conta única do Tesouro Nacional. Para ele, o futuro regulamento administrativo do Senado deve impedir essa possibilidade.

Diante da denúncia de Casagrande, o presidente do Senado já determinou a abertura de comissão de sindicância para investigar a existência das duas contas. As investigações ficarão a cargo da Secretaria de Controle Interno e a comissão de sindicância terá sete dias, a partir da data de publicação do ofício, para concluir os trabalhos. A comissão deverá apurar quem abriu as contas, qual a movimentação que foi feita e por quem esses recursos foram movimentados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.