Cartas para Papai Noel agitam o correio do Pólo Norte

Essa é a época mais animada do ano na cidade do Papai Noel, a Lapônia finlandesa: é quando os funcionários dos correios locais cuidam de uma média de meio milhão de cartas dirigidas ao Bom Velhinho.

AFP |

"Milhares de cartas chegam todos os dias do mundo inteiro", conta um dos carteiros, mostrando uma verdadeira montanha de papel.

Mais de 10 milhões de cartões de boas festas e listas de presentes transitam por essa agência dos Correios desde sua inauguração, há 11 anos, perto de Rovaniemi, cidade de 35.000 habitantes situada no círculo polar.

A avalanche de cartas que chegam aos serviços postais finlandeses começou há quase 80 anos, quando um popular programa de rádio infantil afirmou que o Papai Noel vivia numa montanha dos arredores. O serviço de correios do país não teve outra saída a não ser abrir uma agência exclusivamente destinada a essa correspondência tão especial.

O número de cartas recebidas alcançou há alguns anos a média de 800.000, mas o papel e a tinta cederam terreno em benefício do correio eletrônico.

Todas cartas dirigidas a 'Papai Noel" ou 'Santa Claus' e com endereço 'Lapônia' ou 'Pólo Norte' chegam à agência, mas, segundo os funcionários, o endereço correto é: Santa Claus, 96930, Círculo Polar, Finlândia.

E todas as cartas recebidas com remetente recebem religiosamente uma resposta em oito idiomas diferentes.

Só que o Papai Noel não é motivo de interesse apenas dos baixinhos, como também de "gente mais velha". Muitas pessoas se apresentam como voluntários para trabalhar de duende no correio do Papai Noel nos finais de semana.

Apesar de no geral reinar o bom humor, as cartas recebidas nem sempre fazem sorrir.

De fato, aproximadamente um terço das cartas evocam temas sérios, problemas familiares ou tragédias que se registram no mundo, como os atentados de Nova York ou a violência em países atingidos por guerras.

paa/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG