Carnaval e os cuidados necessários para se expor ao sol

Carnaval e os cuidados necessários para se expor ao sol Por Carolina Paiva* O feriado de Carnaval se aproxima e existe a possibilidade de se bronzear, sem queimar a pele. O primeiro consenso é o de que os banhos de sol devem ser realizados até às 10:00 da manhã, ou após as 16:00, quando os raios UVA, menos danosos, são mais abundantes.

Agência Estado |

É também importante ter em mente que o resultado do bronzeamento natural e seguro só poderá ser percebido alguns dias após a exposição solar. O corpo precisa de um tempo para produzir melanina e liberá-la pelas células. Por se tratar de um processo biológico, não há como apressá-lo sem riscos. Portanto, um banho de sol de um dia só, com muitas horas de exposição, só traz problemas.

O ideal é tomar sol por um período de, no máximo, vinte minutos diários durante as férias, sempre fazendo uso de protetores solares com fatores de proteção solar (FPS) elevados. É importante lembrar também que o protetor leva aproximadamente trinta minutos para iniciar sua ação e mesmo com filtro solar, uma parte da radiação ultravioleta está atingindo a pele e estimulando o bronzeamento.

Não fique vermelho, como um camarão: a 'vermelhidão' na pele é ocasionada pela exposição solar excessiva e sem proteção adequada. É muito importante proteger crianças e adolescentes adequadamente. Se o filtro solar utilizado permite que a pele fique vermelha após a exposição solar, é sinal que a proteção não está sendo eficaz e que o fator de proteção solar deve ser aumentado ou o produto deve ser aplicado em intervalos menores.

O fator de proteção mínimo deve ser o FPS 30. Sua reaplicação deve ser feita a cada 2 horas ou após mergulho, exercício ou suor excessivo. O protetor para os lábios também deve ser utilizado, durante o banho de sol. O uso de chapéus, durante a exposição solar, contribui para a proteção de áreas sensíveis, como olhos, orelhas, pescoço e nuca. Os óculos de sol com 99-100% de proteção UV são poderosos aliados na proteção dos olhos, que podem sofrer danos oculares sérios, como a catarata, quando expostos ao sol sem proteção.

Já existem, hoje, roupas que protegem a pele de radiações solares, como as utilizadas pelos surfistas. Mesmo os que decidem ficar na sombra, nas praias ou piscinas, não estão livres de sofrer com a radiação solar que se reflete na água, na areia e no asfalto. Portanto, quem vai à praia ficar embaixo do guarda-sol também deve utilizar filtro solar.

*A Dra. Carolina Paiva é cirurgiã plástica da Clínica Anna Aslan Beauté, em São Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG