A Unidos do Viradouro é a quarta escola a entrar na Marques de Sapucaí na noite de hoje, para os desfiles das escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Com o enredo México, o paraíso das cores, sob o signo do sol, a escola começou seu desfile apostando em alas e fantasias coloridas para conquistar o título que não vem há 12 anos.

A referência às cores e à alegria do México aparece logo no abre-alas. As origens da cultura do México também são lembradas por figuras históricas, como o rei asteca Montezuma e o explorador espanhol Hernán Cortez. Um dos destaques é a representação de um dos maiores pintores da história mexicana, Diego Rivera (1886 - 1957), interpretado pelo ator Marcos Oliveira, o Beiçola de "A Grande Família".

A rainha da bateria Júlia Lira, de apenas 7 anos, filha do presidente Marco Lira, desfila na escola após muita polêmica. O pedido de autorização para que a menina desfilasse foi encaminhado ao Juizado de Menores do Rio, mas ela conseguiu a liberação apenas na semana anterior ao desfile.

Muito assustada com o assédio dos repórteres, ela cumprimentou o público cercada por seguranças antes de entrar na avenida. O posto de rainha da bateria da escola já foi ocupado por Luma de Oliveira e Juliana Paes.

A escola traz cerca de 3.500 integrantes espalhados por 34 alas. O único título da Viradouro foi conquistado em 1997, com Joãozinho 30, que comandou o samba-enredo "Trevas, Luz e a Explosão do Universo".

Segue a letra do samba da Viradouro:

Brilhou o quinto sol, o povo se manifesta
Sopra um "Vento mestiço", uma avenida em festa
Traz o gênio que ilumina a canção
As cores que dão forma à "criação".

Chegou o áureo tempo de reviver
A história, o alvorecer, de uma nação guerreira
Os templos sagrados vão resplandecer
Palácios bordados irão renascer.
Obras de uma "Vida inteira"
Um dia sangra o chão, desejo do invasor
Sofri na traição do opressor.

Chegam piratas, joias se vão
Olhos " Vidrados" em busca do ouro
Pro fundo do mar vai a ambição
Ninguém vai levar o meu tesouro

Meu sangue eu entrego à terra, à liberdade
"O grito", vai raiar o sonho de felicidade!
A fé que desata os nós une a gente de novo
Caudilhos guerreiros se abraçam ao povo
Ouve-se a voz da revolução
São dias pra guardar no coração

Eu vi a força da arte popular
E com meus versos "colori" o azul do mar
Ao sabor do tempero, receitas pra dar e vender
Vi a cidade maior se render à magia de uma paixão
A dor da saudade vou festejar, é tradição
Hoje eu peço a sua bênção, senhora do meu coração!
Arriba Viradouro!
Uma tequila pra comemorar
Um lenço vermelho, sombreiro na mão
O México em cores vou cantar!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.