Carnaval 2010: procura por abadá movimenta Salvador

Faltavam menos de quatro horas para o início do primeiro dia de desfiles do carnaval de Salvador, ontem, e os irmãos Daniel e David Matoso Campos, de Fortaleza, não sabiam como festejar. O bloco que eu queria está muito caro, lamentava Daniel, em um shopping que tem o estacionamento transformado em mercado paralelo de abadás.

Agência Estado |

A cena é comum. Nos postos de venda de abadás da cidade, milhares de pessoas aglomeram-se sem saber direito o que fazer. As alternativas são muitas e os preços, altos.

No carnaval de Salvador, os blocos e camarotes mais caros costumam ser os mais disputados. Oferecem as atrações mais populares e a melhor estrutura. Exemplo é o bloco Camaleão, comandado pelo Chiclete Com Banana, que desfila de domingo a terça-feira no Circuito Osmar (Campo Grande). Ontem à tarde, os ingressos dos desfiles de domingo e segunda já estavam esgotados (custavam R$ 840 cada) e havia poucos para a terça. Com cambistas, os preços podem ultrapassar R$ 2 mil.

Há, porém, alternativas mais baratas para ver os ídolos. O próprio Chiclete comanda, na noite de terça, o Voa-Voa, no Circuito Dodô (Barra-Ondina). Os ingressos custam a metade do Camaleão: R$ 430. O mesmo vale para outras estrelas, como Ivete Sangalo e Daniela Mercury. O bloco de Ivete, o Coruja, desfila de domingo a terça no Circuito Osmar e o abadá custa R$ 650. Hoje ela apresenta-se no Pra Ficar, no Circuito Dodô, por R$ 450. Já o bloco comandado por Daniela, o Crocodilo, desfila de domingo a terça no Circuito Dodô e o abadá custa R$ 400, mas ela desfila de graça, amanhã, com seu próprio trio, no mesmo circuito.

Outros artistas desfilam sem cobrar, caso de Carlinhos Brown, do bloco Camarote Andante, domingo e segunda, no Circuito Dodô. Mas blocos sem corda costumam ter mais brigas e delitos, como furtos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG