No momento em que a Pérola Negra, última escola do grupo especial do carnaval paulista a entrar no Sambódromo do Anhembi, encerrou o desfile, com 64 minutos de duração (um abaixo do limite máximo), o grito foi tirado da garganta: É campeão. Mais do que realmente atestar a expectativa da escola de conquistar o título, o grito podia ser interpretado, de acordo com o presidente da Pérola Negra, Edilson Casal, como um desabafo.

Afinal, depois de todos os problemas enfrentados pela escola antes do desfile, notadamente com as chuvas que atingiram São Paulo em janeiro, colocar o samba na avenida já poderia ser encarado como uma grande vitória. "Foi um baita desfile, todos estão muito orgulhosos. Foi o desabafo de uma escola que superou todas as dificuldades", afirmou o presidente, também conhecido como "Nego".

Contando em entrar na avenida com o dia já claro (embora os primeiros raios de sol só tenham surgido do meio para o fim do desfile), a escola apostou em fantasias muito coloridas e com menos detalhes brilhantes. "Fizemos as fantasias pensando mesmo na luz", admite o presidente. Os problemas atingiram algumas fantasias, que tiveram de ser refeitas, e o terceiro carro alegórico, que representava a colcha de retalhos que compõe a cultura brasileira e também passou por reparos para estar pronto para o desfile.

O enredo da escola, "Vamos Tirar o Brasil da Gaveta", é uma homenagem à cultura brasileira e a um de seus mais populares representantes, o apresentador da TV Cultura Rolando Boldrin. De acordo com o presidente da Pérola Negra, a principal intenção da escola foi valorizar o brasileiro. "O brasileiro é um povo que se supera, mesmo com dificuldades. Está sempre sorrindo. A nossa escola também foi assim", analisa.

Como foi a última escola a entrar na avenida, a Pérola Negra desfilou para um público bastante reduzido em relação àquele que assistiu às apresentações das principais concorrentes. Um dos destaques da escola, além do homenageado Rolando Boldrin, foi a ginasta Daiane dos Santos. O desfile foi correto tecnicamente, embora até o presidente admita que a escola apresentou dificuldades em alguns quesitos, como Evolução. "Agora, resta esperar a decisão dos jurados. Mas ficamos satisfeitos com o desfile", conclui Nego.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.