Carnaval 2010: Olinda recebe maracatus de baque solto

Longe das ladeiras históricas, tomadas pela folia, o Espaço Ilumiara Zumbi, na Cidade Tabajara, bairro de Olinda, recebeu hoje, no seu 20º encontro, 54 maracatus de baque solto. O evento foi aberto às 9 horas com as evoluções do Piaba de Ouro, criado em 1977 pelo Mestre Salustiano, já falecido e ícone da cultura popular.

Agência Estado |

Para realizar o primeiro encontro de maracatus de baque solto, Mestre Salu, como era conhecido, vendeu a caminhonete que lhe dava sustento. Com ela, fazia mudanças. Ele temia pela extinção da brincadeira cujo berço são os engenhos de cana de açúcar da zona da mata. Na sua primeira edição, conseguiu a participação de 12 agremiações.

"Hoje o maracatu de baque solto é um fenômeno de crescimento", afirma seu filho, Manoelzinho Salustiano, presidente da Associação Estadual dos Maracatus de Baque Solto, que estima em 12 mil os integrantes dos 108 maracatus de baque solto de Pernambuco. O mais antigo, o Cambindinha de Araçoiaba, de 1914, e o caçula, Carneiro da Vila, criado no ano passado em Glória do Goitá, na zona da mata, estavam entre os que se apresentaram na arena do Ilumiara Zumbi.

O espetáculo deve se estender até as 20 horas. A expectativa de público, porém, não ultrapassava 4 mil pessoas, segundo os organizadores. Sem precisar disputar espaço, os caboclos de lança - um dos símbolos do carnaval pernambucano - e os arreiamar (ou caboclos de pena), com seus chapéus com cerca de mil penas de pavão faziam livremente suas coreografias e puderam ser fotografados, observados de perto e até entrevistados por quem se dispôs a tentar entender a riqueza da cultura local. "Fantástico", resumiu a turista carioca Ana Galluf, 48 anos. "O ritmo é contagiante".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG