Carnaval 2010: Mocidade traz simbolismo do espelho

A presidente da Mocidade Alegre, terceira escola de samba do grupo especial a entrar hoje no sambódromo de São Paulo, fez mistério sobre o desfile da atual campeã do carnaval paulistano. Vamos ver.

Agência Estado |

As coisas aparecem na avenida", respondeu Solange Bichara, ao ser questionada sobre as surpresas reservadas pela escola. A Mocidade vai trazer a história e o simbolismo do espelho, no enredo "Da criação do universo ao sonho eterno do Criador... Eu sou espelho e me espelho em quem me criou", e homenagear o fundador Juarez da Cruz, que morreu ano passado.

Solange disse estar nervosa, mas confiante com o trabalho desse ano. "Vai dar tudo certo. Torço por todas as escolas, porque o trabalho do sambista é muito árduo", afirmou ela, na concentração do sambódromo. A escola conta com 3.500 integrantes divididos em 25 alas e cinco alegorias.

A comissão de frente da escola promete impressionar o público, com trajes em tons de lilás e prata e muita luz. O destaque da comissão, Robério Deodoro, vai carregar a fantasia "A Luz do Criador", com 450 pontos de LED coloridos e um costeiro de 15 quilos. "Rezei muito para não chover. E deu certo", comemorou.

A rainha mirim da bateria, Marília Silva, a Naninha, de 13 anos, contou que esse ano conta com a companhia de Nani Moreira à frente da bateria. "Vai ser tão bom quanto no ano passado", disse. Em 2009, Nani havia acabado de ter um bebê e desfilou no último carro da escola, de vestido longo.

Fundador

No ano passado, durante a apuração dos votos que deu mais um título à Mocidade, em uma disputa apertada com a Vai-Vai, Juarez passou mal e foi internado. Sofreu uma parada cardíaca durante a madrugada e não resistiu. Curiosamente, a morte de Cruz ocorreu justamente no ano em que a escola escolheu como enredo o coração.

Segue a letra do samba-enredo da Mocidade Alegre:

Vai Morada
Chegou a hora de ser feliz
Refletindo na avenida
A minha alma, minha raiz
Da luz, a obra do Criador
O pai do universo e da criação
Fazendo o homem à sua imagem
A plenitude da perfeição
Inspiração tão cristalina
Buscando evoluções
E lá no céu, astrologia
O futuro das gerações

Num ritual de fé
Na força do orixá... Yaba
Oraye Yê-o Mamãe Oxum
Reluzindo no meu caminhar

Abrem-se os portais
Num mundo de imaginação, viver e brincar
Nessa magia, fantasia é ser criança
Tem contos e fábulas pra contar
Na vaidade um ego a cultuar
Beleza, imortalizar
Oh! Meu pavilhão, quanta emoção
Um ser divino que guia
Nossa família em primeiro lugar
Eternamente vai nos abençoar

Sou a luz do Criador... Espelho!
Aos olhos de quem me criou
Sou Mocidade, amor... Bato no peito
O sonho se eternizou!

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG