A Mocidade Independente de Padre Miguel é a primeira escola do Grupo Especial a entrar na Marques de Sapucaí esta noite, no segundo dia de desfiles do carnaval do Rio de Janeiro. No desfile, a Mocidade retrata os diferentes paraísos - religiosos ou não - e tenta conquistar um título que não vem desde 1996.

A escola aborda o Éden, paraíso de Deus, o paraíso dos africanos, o paraíso fiscal, o paraíso do consumo e o paraíso do carnaval. O tom crítico é um dos pontos altos do desfile. Ao falar do paraíso do consumo, a Mocidade chama a atenção, por exemplo, para as compras desenfreadas em shopping centers. Para abordar esses temas na avenida, a escola gastou cerca de R$ 6,5 milhões.

Os cerca de 4.500 componentes estão divididos em 38 alas e 7 carros alegóricos. À frente da bateria estão a cantora Elza Soares, como madrinha, e a atriz Thatiana Pagung, como rainha.

Segue a letra do samba-enredo da Mocidade:

Eu voltei ao Éden
Paraíso de verdade
Serpente, chega pra lá
Hoje eu quero é sambar com a Mocidade
O mal que você me causou
Pra que me infernizar?
Chega de guerra e miséria
Sem trégua, nem légua
É a idade média a se transformar

Entre lendas e mistérios,
Preste João me inspirou a navegar
O bandeirante cobiçou
E o índio revelou o Eldorado de além-mar

Tudo o que eu puder sonhar
Vou realizar agora e sempre
E se tentar me taxar
Mando depositar em outro continente
Do Éden ao paraíso da loucura
Ninguém sabe quanto é o que se procura
Hoje o povo quer felicidade
No paraíso da igualdade e liberdade
Estrela faz o meu sonho mais real
Sacode a Sapucaí
É carnaval

Meu coração vai disparar, sair pela boca
Não dá pra segurar, paixão muito louca
Luz independente me leva pro céu
Sou Mocidade, sou Padre Miguel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.